A Força Espacial dos Estados Unidos e os OVNIs

Por: Fenomenum Comentários: 0

O Major-General da Força Espacial dos EUA, John Olson, reconhece o problema envolvendo sobre o fenômeno dos UAPs (OVNIs).


Neste artigo:


Introdução

Por José Guijarro

Em entrevista à imprensa, realizada em 14 de abril, o General de Brigada John Olson reconheceu a legitimidade do problema de segurança colocado pelos Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), sua natureza global e a necessidade de estimular a colaboração internacional.

O encontro com a imprensa teve como objetivo divulgar como funciona a Força Espacial dos Estados Unidos , que Olson ajuda a organizar, treinar e equipar. Ela está trabalhando para construir uma força que supere seus concorrentes no espaço, aproveitando dados e tecnologia para manter a superioridade espacial ao lado de nações aliadas em todo o mundo. No entanto, os jornalistas perguntaram sobre a questão dos OVNIs em um momento durante a aparição, eles queriam obter sua opinião sobre esse assunto candente.

Major General John M Olson

 

Inesperadamente, Olson ligou o assunto aos extraterrestres : “Tendo voado em oitenta e três aviões diferentes e passado muitas horas [no céu]“, disse ele, “todos nós vimos muitas coisas inexplicáveis“. E continuou explicando que o Cosmos, o reino do espaço, é tão grande e a Terra um pequeno ponto azul em um cosmos ilimitado, que “eu pessoalmente acredito que, de uma perspectiva de probabilidade, existe vida lá fora” .

Olson elogiou o esforço dos Estados Unidos para investigar e entender os dados provenientes dos avistamentos registrados e legitimou a abordagem do governo ao apresentar o fenômeno dos não identificados do ponto de vista da segurança nacional: “eles apresentam um risco que devemos assumir e perseguir” – ele disse textualmente.

Continuamos com a vontade de descobrir se existe vida lá fora“.

Este alto funcionário do USSF acredita que é necessário continuar o esforço e obter mais financiamento e um maior nível de apoio estrutural dentro do Departamento de Defesa e acredita, também, “que isso faz parte de nossa busca sem fim para aprender, entender e explorar“. Da mesma forma que levaram as sondas ao espaço ou à Lua, “continuamos com aquela vontade de ver e descobrir se existe vida lá fora e o que isso significa para a humanidade”.

O correspondente russo do Sputnik News, Ethan Holmes, perguntou se a Força Espacial dos EUA mantém ou planeja estabelecer qualquer tipo de linha de distensão com a Rússia ou a China para o domínio do espaço e como planeja equilibrar essa cooperação espacial civil com competência militar estratégica. Nesse sentido, ele também quis saber se há alguma cooperação com aliados ou parceiros na investigação de UAPs.

Os Estados Unidos já têm uma linha direta para resolver conflitos no espaço“.

A Força Espacial Americana foi promovida pelo presidente Trump

 

O Major General Olson explicou que a comunicação é essencial para a segurança e a resolução de conflitos no espaço à medida que se torna mais congestionado. E revelou que “já temos uma linha direta, uma linha vermelha, diga-se de passagem, entre os Estados Unidos e a Rússia. Eu considero isso muito importante. Pode ser usado para qualquer assunto particular de importância.”

Em relação aos OVNIs, o Assistente de Mobilização da Força Espacial Chefe de Operações Espaciais no Pentágono disse que não tinha conhecimento se havia cooperação entre a AARO e a Rússia, mas reconheceu que “no que me diz respeito, [o fenômeno UAP] envolve colaboração e compartilhamento de informações com todos os países do mundo, porque acho que não se trata apenas de ações ou eventos que acontecem dentro das fronteiras dos Estados Unidos. Eles aconteceram em todo o mundo e acho que coletamos essas informações. Nós compartilhamos esta informação. Consideramos um esforço e uma atividade aberta e transparente.

As observações de Olson foram elogiadas pelo ex-subsecretário de inteligência Christopher Mellon, que twittou que “é muito encorajador ver um alto funcionário do USSF reconhecendo a legitimidade do problema UAP, sua natureza global e a necessidade de colaboração internacional. É incrível o quão longe chegamos desde 2017.”

Olson vê que há um esforço de abertura do Congresso dos Estados Unidos e executado pelo UFO Task Force Office [AARO], “então eu encorajaria mais colaboração e cooperação nesta área e, em particular, acho que, como vemos várias tecnologias emergem vão ajudar a desmistificar ou esclarecer o que está por detrás deste tema“.

O governo dos EUA, aparentemente, compartilha e troca informações com a Organização Internacional de Aviação Civil ou também conhecida como ICAO e outras organizações internacionais.

Uma das razões pelas quais estamos fazendo esse esforço – declarou – é porque as preocupações com a segurança nacional são de extrema importância, assim como a segurança de voo e a prevenção de conflitos e colisões e os problemas de preservação e proteção da vida humana.”

 

Com informações de:


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − catorze =