Colares ontem, hoje e sempre: a população ainda sente.

Por: Adriana Castro Comentários: 2

Embora a grande onda ufológica relacionada ao chupa-chupa tenha ocorrido na segunda metade de 1977 e começo de 1978, inúmeros casos ocorreram após este período. Embora a Operação Prato tenha sido encerrada prematuramente, os militares continuaram investigando casos na região durante o ano seguinte. Além disso, inúmeros fatos posteriores, vivenciados pela população, ainda chamam a atenção.


Artigo anterior sobre o Chupa-Chupa e Operação Prato Próximo artigo sobre o chupa-Chupa e Operação Prato

Os misteriosos ataques à população da Amazônia tiveram início em final de abril de 1977, por ocasião do Caso da Ilha dos Caranguejos. Em maio e junho, novos casos de ataques se repetiram na região oeste do estado do Maranhão, próximo ao rio Pinheiro. Com o passar das semanas o fenômeno deslocou-se para o estado do Pará, intensificando-se de maneira alarmante e ganhando manchetes de primeira página nos jornais.

Com o agravamento da situação e o risco de caos social nas cidades afetadas, a Força Aérea Brasileira iniciou uma operação visando mapear os acontecimentos, identificar os autores de tais ataques e por fim, acalmar a população local.

Durante a chamada Operação Prato, a equipe de militares comandada pelo então Capitão Uyrangê Hollanda, entrevistou testemunhas e vítimas, realizou vigílias e documentou algumas aparições, obtendo centenas de fotografias do fenômeno, além de algumas horas de gravações.

Embora a operação tenha sido coroada de êxito e visivelmente mantinha aproximação gradativa com as inteligências por trás do fenômeno, o alto comando da FAB determinou o encerramento de suas atividades em dezembro de 1977.

Embora a Operação Prato tenha oficialmente terminado, alguns integrantes da equipe mantiveram suas atividades de pesquisa de forma independente. A equipe era composta pelo Capitão Hollanda, o sargento Flávio e alguns poucos integrantes. Essa atividade de pesquisa se manteve durante algum tempo e teve êxito em realizar registrar novas ocorrências. Tais registros estão incluídos nos relatórios da Operação Prato já disponíveis publicamente. Estes documentos foram armazenados na sede do COMAR, em Belém, durante algum tempo.

Vitório Peret, ex-comissário de bordo, conheceu os integrantes desta equipe informal de militares e esteve com eles em algumas vigílias do grupo. Conta Peret, que certa noite o grupo estava realizando uma vigília na área de incidência do fenômeno, quando chegou o sargento Flávio declarando que os arquivos da Operação haviam sido manipulados e alguns arquivos teriam sumido misteriosamente. Tempos depois, os últimos arquivos restantes foram mandados para Brasília (DF), onde devem estar até hoje.

Entre os integrantes da Operação Prato, alguns detalhes devem ser citados. O primeiro deles é o fato de todos os integrantes da operação necessitarem usar óculos devido à problemas de visão surgidos depois da missão.

O segundo detalhe é o fato que atualmente não existe nenhum dos membros principais da Operação ainda vivos. Todos estão falecidos, o que chama a atenção.

O terceiro fato é de que, até onde se sabe, membros da Operação Prato, principalmente o capitão Hollanda e o sargento Flávio tinham algum tipo de material implantado no braço. O Coronel Hollanda, em entrevista para a Revista UFO manipulou tal implante diante das câmeras.

Atualmente, a quantidade de casos diminuiu muito. Alguns casos esporádicos ainda ocorrem, embora não tenham a ferocidade que os caracterizava no passado. Moradores  de Colares, filhos, netos e parentes daqueles que um dia vivenciaram as insólitas experiências com o fenômeno Chupa-chupa, na época da Operação Prato. Sabedores da gravidade e desconhecimento da população em relação a tudo que passaram, confiaram ao nosso conhecimento, algumas de suas lembranças e eventos ocorridos na época e posteriores, na esperança de que sua história e cultura não se percam.

Ainda que o índice de analfabetismo seja de quase zero, parece não haver interesse de repasse das histórias locais e vivências dos habitantes da ilha. Inapropriadamente, os “Colarenses” de hoje, tratam a ufologia como folclore e continuam a usar termos como “visagens”, “Matinta Pereira”, “Sapa” e “bola de fogo” entre outros. 

Em Colares, no dia do Folclore (22 de agosto), numa palestra ministrada para adolescentes e crianças, por testemunhas que vivenciaram a fenomenologia da região, a surpresa foi geral, pois a maioria não conhecia a história da própria cidade, muito menos os eventos da Operação Prato relembrados na palestra.

Seus familiares mais antigos, por medo e/ou defesa, se fecharam e nunca relataram aos seus descendentes suas experiências, deixando a nova geração no total desconhecimento do fenômeno, da riqueza de possibilidades de estudos locais e de sua própria cultura.

Infelizmente e por puro desconhecimento, os constrangimentos ainda hoje são sentidos pelos antigos moradores e por isso a maioria se calou. Ah! Você é de Colares! Não sei como você não tem cabeça de ET! Toda verdinha.” 

Alguns remanescentes da época, tiveram suas vidas tão afetadas que precisaram de ajuda profissional, sendo medicados e receitados a usar “remédios tarja preta” para os nervos e pressão alta por distúrbios psicológicos e transtorno do pânico, sendo necessário o uso contínuo até os dias atuais.

E com o tempo, alguns eventos estão sendo novamente comentados e aqui os disponibilizamos.

Assim vivem os Colarenses de hoje…

 

Orla de Colares, 21.07.22 às 18h05

 

Há cerca de 8 anos, um dos antigos pescadores que ainda vive e pesca em Colares, foi… Lá no Machadinho tem um ser que aparece muito alto, ele é feito de luz. Pessoal daqui diz que é o “matinta-pereira”, a bruxa do Pará. Tem também pequenos seres que já chegaram a comandar e levar as pessoas pra outros lugares… “, “Tirou meu pai do barco do alto mar e jogou na praia do Machadinho. Ele falou que eram seres bem pequenos… Ele não gosta muito de contar isso. Esses seres comandavam a mente dele, eram muitos, tinham olhos oblíquos e uma pele de lagarto ou um macacão. Assim ele nos contou… Ficou zonzo e esquecido.”

Relatos dão conta de muitos moradores e pescadores tendo desaparecido (ou abduzidos) naquela época, onde nem os corpos foram achados, nem dados colhidos, permanecendo até hoje sem informações de seus paradeiros.

Certa vez, uma senhora voltando para casa, às 4h30 da manhã, avistou um “ser sem pele” parecido com um “grey”, sentado no tapete do mercado local. 

Nossa testemunha nos conta que em uma determinada noite de Lua cheia, no final dos anos 90, em novembro, retornava sozinha de uma festa para casa, às 00h45, quando avistou de longe, duas quadras à sua frente, um “homem gigante” “do tamanho do poste” que fica na frente da casa dela. Ela descreveu o ser como “era um homem, porque estava de calça comprida”, “muito alto, magro, que em dado momento virou a cabeça e daria para ver o rosto, mas… parecia não ter face”, “com uma roupa muito luminosa, muito brilhosa mesmo e que ficava olhando diretamente para a Lua, durante quase todo o tempo que fiquei ali”… Ficou por quase 2 horas parada observando o “homem” que não saía do lugar, e, preocupada com horário predeterminado por sua mãe de 1h, para o seu retorno à casa, por sorte alguns pescadores estavam seguindo para a praia e ela então os acompanhou no trajeto até sua casa, que ficava no meio do caminho deles. No momento que ela se “juntou” ao grupo de pescadores, o ser sumiu, ela entrou em casa assustada e sua mãe a aguardava acordada. Contou à sua mãe o que havia ocorrido, justificando o atraso, no qual a mãe acreditou e disse que era um espírito revoltado, que batia nas pessoas que andavam sozinhas pelas ruas a noite e que ele “vinha do Machadinho”. Estranhou a situação e não sabia o motivo de ele não ter feito nada com ela. “Eu contei tudinho como foi, com riqueza de detalhes”, “fiquei por muito tempo olhando aquele homem”, “todos aqui acreditaram em mim e minha mãe completou dizendo que era um ser muito luminoso, que os nativos temiam e que se chamava “Dah”.

Há também um ser que nos anos 80 chamavam de “Sapa”, que segundo relatos, teria sido observado em vários lugares simultaneamente. Parecia um homem grande, com pernas compridas, magras e semi dobradas para fora, e que gritava um som alto parecido com o coaxar de um sapo. Ele era “…liso, sem pele e algumas pessoas chegaram a ver as veias do corpo dele. Dizem também que quando ele era visto, estava sempre indo em direção ao mar e mergulhando lá”.  Essas “visagens” ficaram tão conhecidas, que os habitantes solicitaram a ajuda da polícia local para pegar ou afastar de vez aquele ser que estava aterrorizando a população. Fizeram “tocaias” na orla onde ele aparecia, mas não chegaram sequer a vê-lo, pois ele soltava seu grito coaxado num ponto da cidade e quase imediatamente fazia o mesmo em outro lado da cidade, deixando todos desnorteados. Da mesma forma que os relatos de observações desse ser iniciaram de hora para outra, esses foram extintos e não mais mencionados.

 

Colares e seus encantos. Julho de 2022

 

No final dos anos 60, início dos 70, um evento surpreendente foi testemunhado por um antigo e conhecido pescador, próximo da antiga “ponte dos Cabanas”, do movimento da Cabanagem, no bairro Bacuri. Ele presenciou um “letreiro”, “uma numeração imensa no céu”. “Meu pai tem 80 anos e ele viu isso quando tinha uns quase 30. Naquela época, Colares era uma vila e só tinham acesso a viagem pelo mar. Fez um clarão na areia da praia, que dava pra ver até os grãozinhos de areia, e ele olhou para o céu e viu esses enormes números dourados, com as bordas vermelhas. Ele conta muito isso. Toda vez repete essa história… cresci ouvindo isso.”

Segundo uma pesquisa recente, esse evento pode ter uma explicação surpreendente e  muito inusitada. Por enquanto, trata-se apenas de conjecturas, mas é uma possibilidade real de pesquisa. 

Coincidentemente, nas imagens originais da NASA, do site eol.jsc.nasa.gov, foram encontrados alguns álbuns de fotografias de alta resolução, com fotos sequenciais em diversos locais do mundo (rota normal), onde números gigantes de aparência digitais, vermelhos brilhantes e semitransparentes, estão em foco, na altura e entre as nuvens nas imagens. Esses números foram sistematicamente registrados pelas câmeras dos astronautas na missão STS039, em 01 de maio de 1991.

O fato é que nas imagens originais e editadas com equalização (ressaltam os detalhes e cores da imagem), os números que são o dia “1”, hora “_5” e minutos “4_4” (foto 1, abaixo), aparecem nitidamente no ambiente e por entre as nuvens. Como?! 

Ainda não temos uma explicação plausível para esses fatos e nem afirmamos que foi isso que o pai do nosso contato avistou, pois há uma grande diferença de tempo e tecnologias usadas, sendo o relato do final dos anos 60 e as fotos de 1991. Estamos pesquisando as possibilidades.

Foto pesquisa Letreiro – STS039-610-066, STS039-604-034, STS039-604-035. Cortes das imagens com aproximação de 200%.

STS039-610-066, STS039-604-034, STS039-604-035, originais e equalizadas. Créditos: NASA

Links diretos para essas três fotos:

https://eol.jsc.nasa.gov/SearchPhotos/photo.pl?mission=STS039&roll=610&frame=66

           STS039-610-66 // China, Golfo de Liaotung

           Data: 01.05.1991 // Hora: 05:44:00 GMT (referência Brasil -7 horas)

https://eol.jsc.nasa.gov/SearchPhotos/photo.pl?mission=STS039&roll=604&frame=34

           STS039-604-34 // EUA, Washington, Snake Rivers

           Data: 01.05.1991 // Hora: 14:22:00 GMT

https://eol.jsc.nasa.gov/SearchPhotos/photo.pl?mission=STS039&roll=604&frame=35

            STS039-604-35 // EUA, Idaho, Curva do Lago Oreille

            Data: 01.05.1991 // Hora: 14:23:00 GMT

 

Foi relatado que uma senhora respeitada e reconhecida na cidade, numa madrugada que estranhamente fazia muito calor, sendo isso algo quase não natural ao local, acordou incomodada e se dirigiu a sua varanda para se refrescar. Quando olhou a praça a sua frente. havia um ser metade homem metade cavalo, bebendo água dentro do chafariz da praça. Ela contou o ocorrido para parentes e amigos, que nos dias seguintes, tentaram em vão observar a criatura novamente, que não mais apareceu.

Num final de tarde de 2020, um casal a passeio de motocicleta pros lados da Praia do Humaitá, um local paradisíaco, ao passar por uma das estradas que levam a praia, passaram por um grande susto, tiveram seus fios de cabelos “eletrizados”, ficando literalmente arrepiados (com os fios esticados para o alto) com o efeito sentido. Um pouco mais à frente, voltaram ao normal, em seguida refizeram o trajeto e o mesmo ocorreu pela segunda vez. Ficaram apavorados, achando que se tratava das “visagens” antigas e voltaram pra cidade, terminando o passeio sem nunca mais retornar lá. .. Passaram por um “vórtice ou fluxo de energia”.

 

“No início de junho/2022, vimos uma nave no formato de triângulo com luzes coloridas.. eu, meu noivo e meu sobrinho, 1:30 da madrugada aqui na nossa rua…pessoal riu do nosso relato…por incrível que pareça fizemos a filmagem, mas saiu horrível.”

Esse é o desenho que o sobrinho de 14 anos, que estava junto, fez.

Foto do desenho do triângulo.

Desenho do sobrinho de 14 anos, que também viu o objeto.

 

28/07/2022.

“Ontem a noite surgiu um planeta, acho que era… Igual a uma libélula. Pensamos que era um drone porque estava muito baixo, mas percebemos que se tratava de um planeta.. tão visível a olhos nus. Hoje vou ficar de olho. E ver de onde ele surgiu e toda sua evolução. Vou filmar. Muito lindo. Você poderá ver que planeta é esse? Muito parecido com a estrela que anunciou o nascimento de Cristo. Tem pontas e cauda.”

Eram 21h de 27/07/2022, vídeo da lateral esquerda da residência.

 

Recebemos o relato e o vídeo na manhã do dia seguinte e foi possível verificar os dados de localização, sentido de foco e horário do evento.

A testemunha estava gravando sentido Sudoeste, a aproximadamente 45° de inclinação e eram 21h.

 

 

Verificamos no https://www.apolo11.com/ceu/ O céu de Colares às 21h de 27/07/2022 Sentido Sul, nenhum astro visível.

 

 

 

O céu de Colares às 21h de 27/07/2022 Sentido Oeste, nenhum astro visível.

 

Com os dados fornecidos e verificados, não pudemos definir o que foi gravado naquele dia. A possibilidade de ser um planeta foi descartada.

No dia seguinte, conforme combinado, a testemunha gravou novo vídeo…

28/07/2022, às 23h.

“Ele surgiu agora mesmo no céu. Hoje ele veio tarde. Aí vai o vídeo. Fiz daqui da janela lateral de casa. Veja se você consegue ver se tem alguma coisa no sentido Vigia de Nazaré. Está no rumo da cidade de Vigia, cidade vizinha de Colares”. “Papai achou que era a luz. Fiz o vídeo da cozinha de casa e estava próximo da antena de tv da vizinha (uma casa de 2 andares, vazia). Eu mamãe, papai e minha irmã vimos. Tenho medo de dizerem que somos loucos.”

Eram 23h de 28/07/2022, vídeo da lateral direita da residência. 

Vídeo editado.

 

A testemunha estava gravando sentido Nordeste, a aproximadamente 30° de inclinação e eram 23h.

 

 

23h – Sentido Norte – 28/07

 

Verificamos no https://www.apolo11.com/ceu/ O céu de Colares às 23h de 28/07/2022 Sentido Norte, nenhum  astro visível.

23h, Sentido Leste – 28/07

 

Verificamos no https://www.apolo11.com/ceu/ O céu de Colares às 23h de 28/07/2022. Sentido Leste, o astro “visível” é Saturno, mas estava mais alto (acima de 45°) e mais para o Sul. Na angulação de 30° e na posição Nordeste (NE), nenhum astro visível novamente.

Sendo assim, mais uma vez a possibilidade de ser um planeta foi descartada, no entanto a testemunha nos informou que por ser época de férias, há muitos turistas na região que tem utilizado drones, mas como na gravação não é possível identificar um formato do objeto e considerando o contexto do vídeo, trata-se de mais uma luz não identificada.

Na madrugada de 20/07/2022, pescadores avistaram a olho nu e gravaram pelo celular, o que lhes pareceu 2 sóis no seu horizonte. Nos enviaram o vídeo e seus relatos para uma possível explicação. “Foi aqui no mar de Colares, em frente a orla, próximo do farol. Estavam pescando e avistaram essa bola de luz perto do sol, eram 5:45 da manhã de hoje”

Nesse caso, ainda que tenha sido uma gravação de “dois sóis” na orla de Colares, tratou-se apenas de um fenômeno óptico chamado “Sun dog” ou Parélio, onde aparecem 2 ou mais sóis, simultaneamente. Esse fenômeno, apesar de raro no Brasil, pôde ser facilmente identificado, pois as condições meteorológicas, horário e angulação  verificadas, são características de um parélio. Baixa inclinação solar (eram 05h45), muito frio e umidade alta em 82%. 

Esse é o vídeo original repassado pelos pescadores. Uma região cheia de fenômenos, mas alguns podem ser explicados e esse, além de raro, foi um lindo nascer do Sol “duplo”, exemplo perfeito de um parélio.

 

Edição de frames do vídeo.

 

 

Círculo parélico. Imagem resposta Google.

 

Um parélio ou falso sol, na meteorologia, é um fenómeno óptico atmosférico que consiste num ou mais pontos luminosos, que ladeiam o Sol de cada lado, normalmente inseridos dentro de um halo luminoso, chamado de círculo parélico“.

Wikipedia.

 

04/08/2022  “Luz estranha, essa chamou atenção. Todos aqui da orla perceberam.”

Fotos 1 e 2 originais da orla de Colares, de 04/08/2022, às 19h.

Fotos 1 original da orla de Colares, de 04/08/2022, às 19h.
Foto nº 2 original da orla de Colares, de 04/08/2022, às 19h.

Foto 3 original com zoom e edição de aumento de tamanho e resolução.

Edição da Foto 3.

 

 

Como essas pesquisas ainda estão sendo realizadas, quando tivermos novidades faremos as atualizações.

E como nosso contato sempre fala… “Colares é Colares, onde tudo pode acontecer.”

 

Conheça este caso mais detalhadamente acessando nosso menu abaixo:


Morte na Ilha do Caranguejo 

O Caso da Ilha do Caranguejo é o marco inicial de uma onda de ações nocivas por parte de OVNIs, no Pará e Maranhão.


O Início do Fenômeno Chupa-Chupa

O misterioso fenômeno Chupa-Chupa começou de forma mais intensa em meados de julho de 1977.


A Fase Gurupi, do Fenômeno Chupa-chupa

Na Fase Gurupi, os casos concentram-se na região do Rio Gurupi, divisa entre Maranhão e Pará. São Vicente Ferrer, Pinheiro e São Bento concentraram a maioria dos casos.


O Fenômeno Chupa-Chupa e a fase da Baía do Sol

Com a evolução do Fenômeno, as coisas tornaram-se mais calmas no Maranhão e o foco das ocorrências passou a ser o Norte do Pará, na chamada Fase da Baía do Sol.


A Operação Prato

Com a intensificação dos casos, a Força Aérea Brasileira iniciou uma operação para investigar as estranhas ocorrências.


Coronel Uyrangê Hollanda, comandante da Operação Prato

Saiba mais sobre o Coronel Hollanda, comandante da Operação Prato.


Os Documentos Oficiais da Operação Prato

A Operação Prato, organizada pela Força Aérea Brasileira para investigar os casos agressivos envolvendo UFOs ao norte do Pará e Maranhão, gerou farta documentação. 


As Fotografias da Operação Prato

Conjunto de algumas das fotografias e frames de filmagens dos objetos envolvidos nos ataques.


Características e Padrões do Chupa-Chupa

Padrões e características notáveis envolvendo o Chupa-Chupa.


Depoimentos de Testemunhas do Chupa-Chupa

Conjunto de testemunhos envolvendo o Chupa-chupa.


Reportagens de Jornal

Coletânea de reportagens de jornais de época.


Entrevista com Daniel Rebisso Giese

Daniel Rebisso Giese – Boliviano de nascimento, é biomédico e funcionário do Governo do Pará, na área da saúde, o que lhe propiciou encontrar-se várias vezes, como profissional, com dezenas de testemunhas e vítimas de ocorrências ufológicas, algumas com quadros clínicos até graves. É autor do livro “Vampiros Extraterrestres na Amazônia” edição do próprio autor, Belém (PA) 1991. Conferencista e palestrante de inúmeros cursos e congressos de Ufologia, Daniel foi colaborador dos jornais O Estado do Paraná e Diário do Pará. Possui artigos publicados nas revistas UFO, Planeta, e Cuarta Dimension (Argentina).


Entrevista com a Dra. Wellaide Cescim de Carvalho

Wellaide Cecim Carvalho – médica sanitarista e diretora do Departamento de Programas Espaciais da Secretaria Municipal de Saúde de Belém (PA), foi uma das raras profissionais da área de saúde a ter um contato direto com as vítimas de radiações emitidas por UFOs. Wellaide teve uma oportunidade ímpar durante sua permanência na Unidade Sanitária de Colares, quando assumia as responsabilidades de saúde da ilha.


Entrevista com o Coronel Uyrangê Hollanda

Uyrangê Bolívar Soares Nogueira de Hollanda Lima – Este é o nome do primeiro oficial de nossas forças armadas a vir a público falar sobre as atividades de pesquisas ufológicas desenvolvidas secretamente no Brasil. Com nome de guerra Hollanda, chegando à patente de coronel reformado da Força Aérea Brasileira (FAB), foi ele quem comandou a famosa e polêmica Operação Prato, realizada na Amazônia entre setembro e dezembro de 1977. Foi ele quem estruturou, organizou e colheu os espantosos resultados desse que foi o único projeto do gênero de que se têm notícias em nosso país.


Entrevista com o Jornalista Carlos Mendes

Carlos Mendes – Repórter do jornal O Liberal, de Belém, que cobriu o fenômeno Chupa-chupa.


Entrevista com o piloto Ubiratan Pinón Frias

Ubiratan Pinon Frias, piloto comercial e amigo de Hollanda. Participou da Operação Prato.


Os Anos Seguintes

Embora a grande onda ufológica relacionada ao chupa-chupa tenha ocorrido na segunda metade de 1977 e começo de 1978, inúmeros casos ocorreram após este período. Embora a Operação Prato tenha sido encerrada prematuramente, os militares continuaram investigando casos na região durante o ano seguinte. Além disso, inúmeros fatos posteriores chamam a atenção.


Filmes e Documentários sobre o Chupa-Chupa

Acesse aqui filmes e documentários sobre o Chupa-chupa e a Operação Prato


 

 

Referências:


  1. PRATT, Bob. Perigo Alienígena no Brasil. Tradução de Marcos Malvezzi Leal. Campo Grande: CBPDV, 2003.
  2. PETIT, Marco Antonio. UFOs: Arquivo Confidencial. Campo Grande: CBPDV, 2007
  3. RANGEL, Mário. Sequestros Alienígenas. Campo Grande: CBPDV, 2007
  4. GIESE, Daniel Rebisso. O Fenômeno “Chupa-chupa”, na Amazônia. Revista UFO, Campo Grande, nº 7, p.13-14, abr/jun 1989.
  5. ATHAYDE, Reginaldo. Extraterrestres atacam e matam no nordeste. Revista UFO, Campo Grande, nº 7, p.7-11, abr/jun 1989.
  6. CPDV. Fotos de OVNIs da Força Aérea Brasileira (FAB). Ufologia Nacional e Internacional, Campo Grande, nº 3, p. 10-11, julho/agosto 1985.
  7. GIESE, Daniel Rebisso. Observações ufológicas no Litoral Paraense. Ufologia Nacional e Internacional, Campo Grande, nº 3, p. 11-12, julho/agosto 1985.
  8. GIESE, Daniel. O Fenômeno “Chupa-Chupa”: OVNIs atemorizam o estado do Pará. Ufologia Nacional e Internacional, Campo Grande, nº 5, p. 09-15, nov/dez 1985.
  9. GIESE, Daniel. Novidades no Fenômeno “Chupa-Chupa”. Ufologia Nacional e Internacional, Campo Grande, nº 7, p. 14-15, março 1986.
  10. AGHATOS, Stelio e OLIVEIRA, Daniela. UFOs Rondam a Floresta Amazônica. Revista UFO, Campo Grande, nº 39, p. 8-11, Agosto de 1995.
  11. EQUIPE UFO. Coronel Rompe Silêncio sobre UFOs. Revista UFO, Campo Grande, nº 54, p. 18-27, outubro de 1997.
  12. EQUIPE UFO. Os Resultados da Operação Prato. Revista UFO, Campo Grande, nº 55, p. 46-52, novembro de 1997.
  13. SILVESTRE, Fabiana. UFOs Rondam a Floresta Amazônica. Revista UFO, Campo Grande, nº 75, p. 10-18, novembro de 2000.
  14. EQUIPE UFO. Alienígenas Representam Perigo no Nordeste. Revista UFO, Campo Grande, nº 86, p. 8-11, abril de 2003.
  15. MAUSO, Pablo Villarrubia. O Mistério das Luzes Assassinas na Amazônia. Revista UFO, Campo Grande, nº 86, p. 32-35, abril de 2003.
  16. STABOLITO, Reinaldo. Política de Acobertamento: A Política Internacional de Sigilo ao Fenômeno UFO é Imposição do Governo Norte-Americano. Revista UFO, Campo Grande, nº 99, p. 16-21, maio de 2004.
  17. EQUIPE UFO. Aliens Rondam a Floresta Amazônica. Revista UFO, Campo Grande, nº 101, p. 08-27, julho de 2004.
  18. GEVAERD, A. J. A Profundidade dos Casos Registrados na Amazônia. Revista UFO, Campo Grande, nº 114, p. 10-13, setembro de 2005.
  19. GEVAERD, A. J. Amazônia – Campo de Experimento de Seres Alienígenas. Revista UFO, Campo Grande, nº 114, p. 14-16, setembro de 2005.
  20. GEVAERD, A. J. Na Selva, UFOs deslumbram e amedrontam com seus vôos rasantes e ataques impiedosos. Revista UFO, Campo Grande, nº 114, p. 16-29, setembro de 2005.
  21. GOMES, Evelin. Atividades extraterrestres ainda são registradas em Colares após anos dos primeiros contatos. Revista UFO, Campo Grande, nº 114, p. 26-27, setembro de 2005.
  22. GEVAERD, A. J. Ainda Há Muito a Se Pesquisar no Pará. Revista UFO, Campo Grande, nº 114, p. 31-35, setembro de 2005.
  23. PETIT, M. A. UFOs no Brasil: É hora de nossos militares encararem a verdade. Revista UFO, Campo Grande, nº 115, p. 16-22, outubro de 2005.
  24. EQUIPE UFO. Dossiê Amazônia: Continua a busca de informações sobre as ações militares na região. Revista UFO, Campo Grande, nº 115, p. 26-35, outubro de 2005.
  25. EQUIPE UFO. O Impressionante Depoimento da Médica que Atendeu as Vítimas do Chupa-chupa. Revista UFO, Campo Grande, nº 116, p. 20-29, novembro de 2005.
  26. CHAVES, Pepe. Como as assombrações da Amazônia se tornaram as assombrações de um homem: Coronel Uyrange Hollanda. Revista UFO, Campo Grande, nº 116, p. 30-36, novembro de 2005.
  27. PETIT, M. A. Dossiê Amazônia: O ultimo depoimento de Uyrangê Hollanda fornece inspiração para reflexões. Revista UFO, Campo Grande, nº 117, p. 14-20, dezembro de 2005.
  28. ATHAYDE, Reginaldo. Os ataques do chupa-chupa começaram no Ceará. Revista UFO, Campo Grande, nº 117, p. 22-23, dezembro de 2005.
  29. GEVAERD, A. J. Não cedi às pressões dos militares. Revista UFO, Campo Grande, nº 117, p. 24-31, dezembro de 2005.
  30. Site Operação Prato
  31. Arquivo Cronológico de Entrada [ACE 3370/83] – (Serviço Nacional de Informações – SNI) [82.9 MB – 86 páginas
  32. Operação Prato – 01.01.01 – Relatório de Missão 1 – (FAB – 1º COMAR) [25.9 MB – 40 páginas]
  33. Operação Prato – 01.01.02 – Relatório de Missão 2 – (FAB – 1º COMAR) [15.1 MB – 22 páginas]
  34. Operação Prato – 01.02.00 – Informações Operacionais 1 – (FAB – 1º COMAR) [19.3 MB – 15 páginas]
  35. Operação Prato – 01.03.00 – Ilustrações de Ocorrências – (FAB – 1º COMAR) – [22.5 MB – 52 páginas]
  36. Operação Prato – 02.00.00 – Resumo Cronológico – (FAB – 1º COMAR) – [31.8 MB – 52 Páginas]
  37. Operação Prato – 03.01.01 – Registro de Caso 1 – (FAB – 1º COMAR) – [1.29 MB – 4 páginas]
  38. Operação Prato – 03.01.02 – Registro de Caso 2 – (FAB – 1º COMAR) – [1.20 MB – 3 páginas]
  39. Operação Prato – 03.01.03 – Registro de Caso 3 – (FAB – 1º COMAR) – [3.79 MB – 8 páginas]
  40. Operação Prato – 03.01.04 – Registro de Caso 4 – (FAB – 1º COMAR) – [487 KB – 1 página]
  41. Operação Prato – 03.02.01 – Registro de Caso 5 – (FAB – 1º COMAR) – [743 KB – 2 páginas]
  42. Operação Prato – 03.02.02 – Registro de Caso 6 – (FAB – 1º COMAR) – [399 KB – 1 página]
  43. Operação Prato – 03.02.03 – Registro de Caso 7 – (FAB – 1º COMAR) – [337 KB – 1 página]
  44. Operação Prato – 03.02.04 – Registro de Caso 8 – (FAB – 1º COMAR) – [1.59 MB – 3 páginas]
  45. Operação Prato – 03.02.05 – Registro de Caso 9 – (FAB – 1º COMAR) – [4.00 MB – 9 páginas]
  46. Operação Prato – 03.02.06 – Relatório Adicional 1 – (FAB – 1º COMAR) – [3.02 MB – 6 páginas]
  47. Operação Prato – 03.02.07 – Relatório Adicional 2 – (FAB – 1º COMAR) – [412 KB – 1 página]
  48. Operação Prato – 03.02.08 – Relatório Adicional 3 – (FAB – 1º COMAR) – [463 KB – 1 página]
  49. Operação Prato – 03.02.09 – Relatório Adicional 4 – (FAB – 1º COMAR) – [437 KB – 1 página]
  50. Operação Prato – 04.00.00 – Folha de Ocorrências 1 – (FAB – 1º COMAR) – [2.72 MB – 5 páginas]
  51. Operação Prato – 05.00.00 – Informe Especial 1 – (FAB – 1º COMAR) – [11.2 MB – 15 páginas]
  52. Operação Prato – 06.00.00 – Órgãos de Informação 1 – (FAB – 1º COMAR) – [1.13 MB – 2 páginas]
  53. Operação Prato – 07.01.00 – Disposições Gerais 1 – (FAB – 1º COMAR) – [0.99 MB – 2 páginas]
  54. Operação Prato – 07.02.00 – Relatório Geral 1 – (FAB – 1º COMAR) – [115 MB – 160 páginas]
  55. Fotografias da Operação Prato – [683 Kb – 18 páginas]
  56. Fotografias da Operação Prato [BURN] – [25.7 MB – 86 páginas]
  57. Relatorio 1- Relatorio de Missao – Parte Informativa -VERSAO INEDITA
  58. Relatorio 2 – Relatorio de Missao – II – Parte Informativa – VERSAO INEDITA
  59. Relatorio 3 – Relatorio de Missao – Umbituba
  60. Relatorio 4 – Relatorio de Missao – II – Parte Operacional – VERSAO INEDITA
  61. Relatorio 5 – Relatorio de Pescadores
  62. Relatorio 6 – Comentarios e Aspecto Psico-Social e Econamico – VERSAO ANTIGA
  63. Relatorio 6 – Comentários e Aspecto Psico-Social e Economico – VERSAO INEDITA
  64. Relatorio 7 – Relatorio de Missao – I – Parte Informativa – VERSAO INEDITA
  65. Relatorio 8 – Relatorio de Missao – II – Parte Informativa – VERSAO INEDITA
  66. Relatorio 9 – Extra 01 – VERSAO ANTIGA
  67. Relatorio 9 – Extra 01 – VERSAO INEDITA
  68. Relatorio 10 – Extra 02 – VERSAO ANTIGA
  69. Relatorio 10 – Extra 02 – VERSAO INEDITA
  70. Relatorio 11 – Extra 03 – VERSAO INEDITA
  71. Relatorio 12 – Extra 04 – VERSAO INEDITA
  72. Relatorio 13 – Extra 05 – VERSAO INEDITA
  73. Relatorio 14 – Extra 06 – VERSAO INEDITA
  74. Relatorio 15 – Relatorio de Missao – Fazenda Jeju
  75. Relatorio 16 – Relatorio do Agente – Fazenda Jeju – VERSAO ANTIGA
  76. Relatorio 16 – Relatorio do Agente – Fazenda Jeju – VERSAO INEDITA
  77. Relatorio 17 – Relatorio de Missao – Partes Operacional e Informativa – Fazenda Jeju – VERSAO INEDITA
  78. Relatorio 18 – Relatorio do Agente – Extra 07 – VERSAO INEDITA
  79. Relatorio 19 – Relatorio do Agente – Extra 08 – VERSAO INEDITA
  80. Relatorio 20 – Relatorio do Agente – Extra – VERSAO INEDITA
  81. Relatorio 21 – Relatorio do Agente – Extra 09 – VERSAO INEDITA
  82. Relatorio 22 – Relatorio do Agente – Extra 10 – VERSAO INEDITA
  83. Relatorio 23 – Relatorio do Agente – Extra 11 – VERSAO INEDITA
  84. Relatorio 24 – Relatos Esparsos – VERSAO INEDITA
  85. Relatorio 25 – Extra 12 – VERSAO INEDITA
  86. RELATORIO FILMES SUPER 8 – www.operacaoprato.com
  87. RELATORIO MEDICO – www.operacaoprato.com
  88. http://www.mufon.com/bob_pratt/brazil.html
  89. http://www.jornalinfinito.com.br/materias.asp?area=21
  90. http://www.geocities.com/area51/rampart/2653/injurywriteup.html
  91. http://www.mufon.com/bob_pratt/dasvale.html
  92. http://ufo.com.br/index.php?arquivo=notComp.php&offset=2400&id=492
  93. http://www.x-libri.ru/elib/arefj000/00000087.htm
  94. http://www.ufo.com.br/amazonia/
  95. http://www.ufo.com.br/fase4_txt4.php
  96. http://www.ufo.com.br/amazonia/chupa.htm
  97. http://pt.wikipedia.org/wiki/Chupa-chupa
  98. http://redeglobo.globo.com/Linhadireta/0,26665,GHT0-4604-212882,00.html
  99. http://www.ufo.com.br/materiaespecial/operacaoPrato.htm
  100. http://www.ufo.com.br/documentop.php
  101. http://www.upupi.com.br/
  102. http://www.burn.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=316
  103. http://www.burn.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=318
  104. http://www.upupi.com.br/artigoedisonboaventura01.html
  105. http://www.upupi.com.br/artigoflavio9.html
  106. http://www.upupi.com.br/artigomiguelleao.html
  107. http://www.upupi.com.br/artigoflavio.htm
  108. http://www.ufo.com.br/materiaespecial/operacaoPrato.htm
  109. http://pt.wikipedia.org/wiki/Opera%C3%A7%C3%A3o_Prato
  110. http://www.dominiosfantasticos.xpg.com.br/id281.htm
  111. http://www.infa.com.br/operacao_prato01.html
  112. http://www.terra.com.br/istoe/edicoes/2071/artigo144400-1.htm
  113. http://www.viafanzine.jor.br/site_vf/ufovia/exclusivo.htm
  114. http://www.viafanzine.jor.br/site_vf/ufovia/prato.htm
  115. http://www.viafanzine.jor.br/site_vf/ufovia/prato3.htm
  116. http://www.viafanzine.jor.br/site_vf/ufovia/entrevpinon1.htm
  117. http://www.viafanzine.jor.br/site_vf/ufovia/entrevpinon2.htm
  118. http://www.viafanzine.jor.br/site_vf/ufovia/entrevistas3.htm
  119. http://www.viafanzine.jor.br/site_vf/ufovia/pesquisa.htm
  120. http://www.viafanzine.jor.br/site_vf/ufovia/casosdonorte.htm
  121. http://www.viafanzine.jor.br/site_vf/ufovia/entrevistas4.htm
  122. http://interwell.sites.uol.com.br/para.htm
  123. http://www.infa.com.br/operacao_prato01.html
  124. http://www.mufon.com/bob_pratt/colares.html
  125. http://www.mufon.com/bob_pratt/oprato.html
  126. http://www.mufon.com/bob_pratt/brazil.html
  127. http://www.mufon.com/bob_pratt/hollanda.html
  128. http://www.mufon.com/bob_pratt/crabisland.html
  129. http://www.mundoparapsicologico.com/196-A_Los-informes-militares-de-la-Operacion-Prato-ya-pueden-descargarse-aqui
  130. http://www.ufologie.net/htm/colares.htm
  131. http://www.mundoparapsicologico.com/Ufologia/Listado-Articulos
  132. http://mundo-enigmatico.blogspot.com/2009/05/operacao-prato-pocos-casos-de.html
  133. http://donmaor.blogspot.com/
  134. http://www.abovetopsecret.com/forum/thread454886/pg1

Comments (2)

  • Beth Bessa Reply

    Otimo todo este material sobre o que aconteceu e ainda acontece em Collares com as novas gerações e com o local que ainda se mostra muito propicio a novos fenômenos. Torço para que novas provas venham a tona e muito material que nao tivemos acesso. Parabens Adriana pela pesquisa e trabalho!

    26 de agosto de 2022 at 02:24
    • Adriana Castro Reply

      Oi Beth! Obrigada pelo comentário. Colares foi, é, e sempre será um marco para a Ufologia brasileira e nos cabe continuar as pesquisas para entender o fenômeno e as suas consequências.

      26 de agosto de 2022 at 13:08

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × um =