Contato em Saint Matthias, Quebec

Por: Fenomenum Comentários: 0

Um interessante caso de pouso de disco voador com vestígios físicos residuais e avistamento de tripulantes, ocorrido em Saint Matthias, Quebec, Canadá, em 6 de outubro de 1973.

Transcrição de trecho do Livro UFO – Observações, Aterrissagens e Sequestros, de Yurko Bordachiuk

Os encontros imediatos com ocupantes de UFO são extremamente raros durante o dia. Por isto, o aparecimento de seres semelhantes a anões em pleno dia em Saint Matthias, a leste de Montreal, continua sendo uma ocorrência impar. A presença destes ocupantes não parece ter objetivos científicos ou pesquisadores como costuma acontecer na maioria de casos deste tipo. Muito ao contrário. Ao que tudo indica, o rápido pouso do UFO talvez tenha sido uma parada de emergência gerada da necessidade de um reabastecimento de água. O episódio também foge às regras pois as testemunhas confundiram as criaturinhas anãs que viam com escoteiros praticando a sua “boa ação do dia”.

Tudo começou à 00:45, nas primeiras horas do dia 6 de outubro de 1973(1), quando Mr. e Mrs. N.R. (cujas identidades são conhecidas para os pesquisadores do UFO-Quebec) estavam passando por uma estrada no campo. Eles notaram uma luz intensa que partia de um campo situado a um quarto de milha de distância. Ela parecia-se com um holofote e dava a impressão de estar vasculhando a região. Mr. R. não prestou maior atenção àquilo julgando tratar-se de policiais procurando ladrões de gado que infestavam aquela zona.

Na manhã seguinte, por volta das 11:30, Mrs. R. estava dependurando a roupa lavada para secar no varal de seu quintal, quando notou uma coluna de fumaça subindo dos campos localizados ao norte. Chamou o marido, que ficou surpreso com a estranha natureza daquilo que devia ser uma fogueira. Não só não havia nenhuma chama visível como também tinha chovido há pouco tempo e aquele tipo de combustão num campo encharcado parecia totalmente inconcebível.

Mr. e Mrs. R. concentrando a atenção naquela direção, localizaram, a pouca distância da “fogueira”, um objeto redondo, amarelado, com o formato de uma cúpula e que dava a impressão de ser uma barraca de acampamento. Concluíram que um grupo de escoteiros devia ter acampado ali e feito uma fogueira. De repente, um objeto quadrangular e amarelo, parecido com um buldôzer, irrompeu de dentro da barraca abrindo caminho até alcançar uma fonte distante cerca de duzentos pés.(2) Ainda pensando nos escoteiros, não questionaram o aparecimento de cinco figuras de aspecto infantil com cerca de quatro pés de altura.

Usando roupas amarelo-vivo com um capacete parecido com os usados pelos jogadores de rúgbi, as figuras pareciam estar carregando alguma coisa nos braços enquanto azafamavam-se entre a barraca e o objeto. Devido à altura do mato, não conseguiram distinguir nenhum movimento de pernas.

Despreocupados com a presença dos jovens acampados, o casal retomou suas atividades diárias e, apenas de vez em quando, olhava para o campo. Então, vinte e cinco minutos mais tarde, “os escoteiros” e a barraca tinham desaparecido. De vez que a única estrada de acesso ao campo passa ao lado da casa da fazenda do casal, este deveria ter visto a partida dos “acampados”. Um tanto atônitos, os dois começaram a raciocinar sobre a sua teoria e a imaginar se não haveria uma explicação mais exótica para tudo aquilo. A primeira idéia vaga de uma possível ligação com um UFO foi provocada por um vizinho que contou ao casal ter visto uma “barraca amarela” decolar e rumar para Mont Rougement, vinte e cinco milhas mais para o leste.

Naquela noite, quando a filha do casal voltou do trabalho, este contou-lhe o sucedido. Ela atravessou o campo rumando para o local do “acampamento” e descobriu um círculo de relva queimada e amassada com cinqüenta pés de diâmetro. Também notou uma trilha com seis polegadas de largura, parecida com marcas de um trator, partindo do círculo rumo a um círculo menor, com doze pés de diâmetro, e junto à nascente. Quando Miss R. voltou para casa sua cabeça começou a doer e sentiu-se nauseada — sintomas muitas vezes associado à exposição de radiação. Não procurou cuidados médicos pois a dor de cabeça e as náuseas logo desapareceram. Várias semanas mais tarde, quando os comentários sobre o caso chegaram até os escritórios do UFO-Quebec, Wido Hoville e Pierre Blanquière inspecionaram o local e fizeram o seguinte relatório: O primeiro círculo ainda estava visível, bem como o estavam a pista e o outro círculo menor. Batemos algumas fotografias coloridas que demonstram, claramente, as marcas de queimado e as marcas parecidas com uma pista. Dentro da circunferência do círculo maior, encontramos três marcas quadradas dispostas num desenho triangular com trinta e quatro pés de comprimento. No momento, não dispúnhamos de um contador geiger e foi impossível levar a cabo uma contagem de radiação.

Perto do local do pouso, encontramos várias nascentes de água onde, normalmente, os animais domésticos vão mitigar a sede. A cerca de 1500 pés a leste do local há duas linhas de energia de alta tensão, enquanto que a oeste, pode-se ver um encanamento. No exato local do pouso, descobrimos um eixo sinclinal… (o qual) confirma intensamente a hipótese de que os UFOs são, quase sempre, observados nas regiões onde estão presentes as descontinuidades geológicas, como por exemplo: alinhamento de falhas, pedreiras, desfiladeiros etc.

Sobrevoando o local a fim de tirarmos algumas fotografias das marcas pudemos ver, claramente, o eixo atravessando o campo do sudoeste para o nordeste. Nos últimos vinte anos, as regiões de Chambly e Rougemont têm aparecido como áreas de intensa atividade de UFOs, com vários relatos fidedignos tanto de aterrissagens de UFOs como de ocupantes presentes. Ao que tudo indica, o pouso foi realizado a fim de procederem a um reabastecimento de água. As marcas indicavam claramente que alguma espécie de veículo tinha saído do imenso aparelho redondo e rumado para a nascente. Os movimentos apressados dos humanóides deixam-nos a impressão de que realizavam uma “tarefa de emergência”. Uma observação curiosa ligada ao caso é a questão sem solução dos “ladrões de gado”. Apesar de não termos condições para estabelecer qualquer ligação entre os desaparecimentos de gado e os nossos “carregadores de água” cósmicos, vale a pena observar que estes roubos de animais coincidiram com uma intensa atividade de UFOs.

Marcas deixadas no local do pouso.

 

Marcas deixadas no local do pouso.

 

Referências:


 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 × cinco =