Contato Imediato em Brusque (SC)

Por: Jackson Camargo Comentários: 0

Um interessante caso de contato imediato ocorrido em Brusque (SC), onde um lavrador teve a perna paralisada por um feixe luz emitido por tripulante.

Em 3 de setembro de 1976, ocorreu um interessante caso de pouso e contato com tripulantes, em Brusque (SC). Por volta das 19:00 hs, o lavrador João Romeu Klein, na época 19 anos, voltava para casa, após visitar um amigo. Quando encontrava-se a 100 metros de distância de sua casa, avistou um objeto voador, em forma de prato fundo, que girava lentamente no sentido contrário aos ponteiros do relógio. A parte superior era mais achatada, tendo no cume, um foco luminoso, que variava de acordo com a velocidade de deslocamento: da cor vermelha (a grande velocidade) para laranja, desta para amarela e desta para verde-clara, e por fim branca. Quando encontrava-se imóvel a intensidade da luz diminuiu. O objeto em si, tinha cor cinza e aproximadamente 3 metros de diâmetro.

O estranho aparelho aproximou-se da testemunha, passando aproximadamente 10 metros acima de sua cabeça, e imobilizando-se logo a frente, a 5 metros acima do solo. Do centro de sua base havia um facho de luz vermelha, intensa, por onde desceram, lentamente, três pessoas de pequeno porte (aprox. 1 metro de altura).

Enquanto essas três pessoas alinhavam-se tomando toda a largura do caminho, à frente de João, impedindo sua passagem, a nave deslocava-se para a retaguarda, a uns 10 metros de distância da testemunha e 8 metros acima do solo, próximo a alguns arvoredos.

João caminhou em direção à sua casa, um trajeto que o levaria muito perto dos tripulantes do misterioso objeto. Com a aproximação da testemunha, os tripulantes abriram os braços, num aparente gesto de bloqueio do caminho, comunicando-se entre si, em uma linguagem desconhecida.

João Klei sacou sua faca de descascar cana e atirou-a em direção aos pequenos seres. Nesse momento ocorreu algo estranho. A faca percorreu seu trajeto, mas em dado momento ela desviou-se no ar, caindo em outro local.

Cada um dos tripulantes, portava um bastão preso à cintura. O tripulante posicionado ao centro reagiu, empunhando o bastão em direção à testemunha. Através deste bastão ele disparou um facho de luz azulada, muito clara, quase branca, que atingiu a coxa esquerda de João. Ao ser atingido pela luz, João perdeu os sentidos, desmaiando em seguida. Ele foi encontrado desmaiado, mais tarde, por vizinhos que passavam pelo local.

João Klein tinha a perna esquerda enrijecida, e por isso seguiu para o hospital Azambuja, em Brusque (SC), onde foi examinados por alguns médicos. Não havia qualquer sinal de ferimentos na perna, que restabeleceu-se depois de alguns dias.

Local onde o caso ocorreu. Créditos: SBEDV.

 

Descrição do objeto observado, em relato feito para a SBEDV.

 

Desenho feito pela testemunha, representando seu contato. Créditos: SBEDV.

 

Representação do contato. Créditos: SBEDV.

 

 

Retrato falado dos seres observados.

 

 

A testemunha, na época do caso.

 

A testemunha, em vídeo documentario, feito em 2017.

 

 

 

Referências:


 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

8 + dezenove =