Contato Imediato em Mogi-Guaçu

Por: Jackson Camargo Comentários: 3

Um interessante caso de pouso de OVNI e avistamento de tripulantes, ocorrido na zona rural de Mogi-guaçu (SP), em 18 de outubro de 1965.

A Sra. Lucia Anhaia, esposa do Sr. Dário Anhaia, proprietário da Fazenda São Luis, em Mogi Guaçu (SP), foi protagonista de uma experiência interessante. O fato ocorreu em 18 de outubro de 1965. Era noite com lua cheia que já desaparecia no horizonte, quando a testemunha observou uma luz alaranjada aproximando-se da casa da fazenda.

O OVNI desceu no cercado de gado, do outro lado da estrada, mas não chegou a tocar o solo. Permaneceu no ar, a meio metro do chão, oscilando num movimento de vai-vem pendular. D. Lúcia, que estava acompanhada do menino Darinho, aproximou-se da porteira, de onde pôde distinguir a configuração cônica do objeto, que teria 3 ou 4 metros diâmetro na base, por 3 de altura. De um dos lados do cone projetava – de um tubo de 1,20m, mais ou menos, de extensão. O aparelho irradiava faíscas luminosas à sua volta.

Ao lado, no chão, estava um homenzinho de aproximadamente 1,20m. Como D. Lúcia observava a 40 metros de distância, não conseguiu ver seu rosto, mas notou que o pequenino vestia um casaquinho “folheado de cinza”, com manchinhas brancas “do tamanho de grãos de feijão”, tendo uma faixa na frente.

O tripulante do OVNI andou no meio dos animais mantidos no local que estavam indiferentes à sua presença. Ele se dirigiu à uma mangueira distante 50 metros do local do pouso. Pouco depois o ser desapareceu e o OVNI decolou deixando o local.

 

Outro Tripulante

Cinco minutos depois o OVNI retornou e desceu no mesmo local. Desta vez saiu um ser com vestimenta branca na parte de cima e cor chocolate na parte de baixo. A descrição destes seres é muito semelhante à um caso ocorrido na Itália anos antes. D. Maria pôde observar melhor este outro ser. Ele tinha traços mais finos e delicados e se dirigiu à um pé de jurubeba. Ali ele recolheu várias braçadas de galhos que levou ao objeto.

Na fazendo vizinha, denominada Cataguá, estava ocorrendo uma festa de casamento. Então havia um certo movimento na estrada local. A cada vez que alguém passava na estrada o objeto se ocultava, desligando sua luminosidade. Após finalizar a coleta dos galhos o tripulante voltou ao OVNI que decolou em seguida.

Logo após surgiram no céu dois objetos luminosos. Um deles dirigiu um facho de luz em um dos pilares de madeira do galpão do lado da casa e durante alguns minutos projetou ali a imagem de um homenzinho olhando para frente com os braços flexionados, como se estivesse sentado ao volante de um veículo. Na projeção o humanóide tinha a pele clara, cabeça calva e descansava a nuca em um rolo, de cor creme. Darinho se aproximou do pilar e estendeu a mão até tocar a projeção, sendo que apareceu a sombra correspondente na imagem.

Após terminar a projeção desta imagem o objeto projetou uma faixa de luz horizontal em direção ao outro objeto. Essa faixa apresentava linhas verticais como se fosse uma escada deitada. Quando o facho de luz tocou o outro objeto houve um flash e um estrondo no mesmo instante em que os dois objetos desapareceram definitivamente.Durante algum tempo pilhas, lanternas e lampiões misteriosamente não funcionaram.

Na mesma data houveram outros casos de avistamentos de OVNIs em outras regiões do Estado de São Paulo, sendo noticiadas posteriormente pela imprensa. No litoral, nas proximidades de Santos e Guarujá, milhares de pessoas observaram um estranho objeto luminoso de formato arredondado sobrevoando a região. Naquela mesma noite, duas pessoas observaram um OVNI descer em uma área abandonada ao lado da Base Aérea de Santos, sendo divulgado no jornal Notícias Populares, de São Paulo, em 19 de outubro.

Em Ubatuba (SP), o delegado Antonio Manini e o policial Ranulfo Mendes de Almeida, viram um disco voador de tons alaranjados, muito luminoso, que emitia forte ruído. O fato foi noticiado no jornal Folha de São Paulo, de 20 de outubro.

Referências:


  • BULHER, Walter e PEREIRA, Guilherme. O Livro Branco dos Discos Voadores. Petrópolis: Ed. Vozes, 1983.
  • Boletim da Sociedade Brasileira de Estudos de Discos Voadores – Edição 54
  • Boletim da Sociedade Brasileira de Estudos de Discos Voadores – Edição 1975
  • PEREIRA, Jader. Tipologia dos humanóides extraterrestres. Coleção Biblioteca UFO, nº 1, Março 1991.
  • SBEDV. Contatos com extraterrestres no Brasil. Revista UFO, Campo Grande, nº 4, p.20-22, jun/jul 1988.

Comments (3)

  • Beatriz Fachin da Costa Reply

    Oi vi um objeto redondo perto da terra na avenida Abílio dos Santos Branco lado praia olhei dps avia sumido isso foi na madrugada do dia 3 de abril de 2023 às 2:30da manhã ele era uma bola redonda branca eh com uma pequena falha em baixo

    3 de abril de 2023 at 03:52
  • Thiago Felipe Castro Sedorko Reply

    Eu nunca vi nada mas o meu pai diz que na decada de 80, viu um objeto em forma de charuto, de cor ciza, tor tamanho de um onibus parado no ceu por uns 10 minutos sem fazer nenhum barulho, isso foi em Aripuanã Mato Grosso;
    Ele diz que o objeto sumiu derrepente e que só foi se tocar que era algo fora do normal muitos anos depois, ele achava que era algum tipo de balão do governo usado pra fazer pesquisas relacionadas a ouro ou algo assim

    11 de novembro de 2023 at 13:20
    • Iza Failta Reply

      Eu tive uma experiência aos 5 anos de idade ,
      Fui abduzida por um ser de luz,
      Essa luzes podiam ser vistas de longe perto de um rio, em um lugar onde eu morava perto do Canindé no Ceará
      Cerro dia estávamos todos na casa de um morador próximo, minha mãe pediu por voltas das 18 horas , para eu ir em casa recolher a roupa do varal, pois parecia que ia chover, quando cheguei fui para o quintal, e aquelas luzes que via ao longe estava encima da casa, eu entrei correndo e me escondi embaixo da cama, aquela luz me seguiu até o quarto, é se progetou em um homem de luz, era assim que eu chamava, era de uma cor iluminada, sem cabelos, rosto afunilado, maos que não tinham dedos igual aos nossos, ele me tocou, e se comunicava por telepatia, não falava, eu sabia o que ele dizia, e disse, não tenha medo, será rápido!
      Eu apaguei, quando percebi, eu me via no colo do meu pai, minha mãe chorando e olhando tudo de longe. Então ouvi ele dizer, vc pode voltar! Eu acordei gritando, O homem de luz, o homem de luz!

      Passei a dormir no claro, não dormia sozinha!
      Passei a ver coisas que iam acontecer!
      Isso foi em 1978
      1996, precisei fazer uma cirurgia no pé
      E se descobriu u. Objeto de metal no meu pé, não se sabe o que é!

      Eu já havia esquecido disso quando precisei fazer um Rx por ter caído, e lá estava o objetivo, porém agora ele mudou o formato
      Agora vou fazer um ultrassom dia 19 de fevereiro para saber o que é!
      Os médicos dizem que um objeto comum não ficaria tanto tempo intacto!

      13 de fevereiro de 2024 at 16:48

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =