Inglesa sobre abduções e desenvolve estresse pós-traumático

Por: Jackson Camargo Comentários: 0

Sacha Christie, 51, insiste que teve tantos encontros próximos do terceiro tipo com extraterrestres que agora ela tem uma mensagem simples para os visitantes alienígenas da Terra: “por favor, deixe-me em paz!”


Sacha Christie, uma inglesa de 51 anos, relatou uma série de abduções ao longo de sua vida, que a deixaram com estresse pós traumático.

A primeira vez em que viu algo, que ela descreve como um OVNI, tinha apenas sete anos. Era um objeto esférico, suspenso no céu. Depois disso, ao longo de sua vida, ela passou por 9 situações de contato que resultaram em estresse pós-traumático e síndrome do pânico. Hoje, mãe de cinco filhos, mora em Liverpool, Merseyside.

“É muito difícil explicar meus encontros, pois é difícil para mim acreditar no que vi. Passei minha vida inteira tentando pensar em outros cenários, em coisas que poderiam ser, mas a única conclusão é que são outras formas de vida e OVNIs. Olhar para o céu dá-me medo, porque não sei o que vou ver a seguir. Mas não posso deixar de verificar o céu quando saio, pois é apenas um hábito agora. É como se eu tivesse que ter certeza que nada vai cair na minha cabeça”.

Sacha afirma ter tido mais de nove encontros próximos com visitantes alienígenas (Imagem: MERCURY PRESS)

 

“Não tenho muita certeza de onde a maioria dos OVNIs frequenta, mas às vezes parece que eles estão sempre em algum lugar perto de mim. Eu seria um milionária se soubesse por que apenas certas pessoas veem OVNIs, mas acho que isso aconteceu comigo porque olho muito para o céu. Eu só gostaria que eles parassem.”

Uma de suas experiências envolveram pequenas luzes, que voavam em zig-zag e chocaram os ouvintes de rádio da área de North Yorkshire em 1983. Outra experiência, muito mais assustadora, ocorreu durante férias em família no País de Gales em 1997. Na ocasião, ela ficou apavorada depois de ver uma nave no céu e em seguida um “alienígena” próximo à ela.

“Eu, meu ex-parceiro Steve, meu filho Louie e dois dos três membros da família de Steve fizemos uma pequena parada em uma pequena cabana remota. A certa altura, Steve estava apontando para essas luzes fluorescentes no céu que pareciam ficar maiores à medida que se aproximavam de nós. Como as nuvens estavam tão baixas, as sombras e a forma do OVNI faziam com que parecesse uma água-viva brilhante no céu. Todo mundo tinha saído para ver esse ponto, as crianças estavam se sentindo um pouco nervosas e as ovelhas no campo ao nosso lado estavam todas estranhamente deitadas. Louie me disse que algo havia tocado seu pé e eu acreditei nele, mas queria olhar mais para as luzes, entender o que estava acontecendo. Fiquei lá por mais um minuto, quando de repente ouvi algo correndo descalço na lama atrás de mim. De repente, ele esbarrou em mim quando passou correndo e meu peito explodiu. Antes mesmo de perceber o que estava acontecendo, eu estava correndo de volta para casa em pânico, em completa cegueira histérica, não conseguia ver para onde estava indo. Eu só sabia que precisava correr.”

Sacha desenhou reconstruções dos eventos traumáticos (Imagem: MERCURY PRESS)

 

“Eu costumava me sentir segura antes, mas ver os OVNIs tão de perto removeu a bolha em que eu vivia. Sinto que não há nada entre o topo da minha cabeça e o espaço. Minha cabeça parece que está no espaço. A ideia de estarmos contidos em algo agora desapareceu completamente. Isso me deixa com ansiedade e fico nervoso toda vez que preciso sair de casa. Estou bem quando saio de casa, mas é sair de casa que é o problema. Acho que a ansiedade vem das férias no País de Gales em 1997.

Atualmente, ela participa de convenções anuais de OVNIs, onde as pessoas podem compartilhar e falar sobre suas experiências, que ela afirma que a ajudaram a aceitar a ideia de formas de vida extraterrestres.

 

Com informações de:


  1. https://www.dailystar.co.uk/news/weird-news/im-terrified-leave-house-case-26782303

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 × um =