Noite Oficial: O Voo do Jaguar-98

Por: Jackson Camargo Comentários: 0

O Caça Jaguar-98 foi o segundo caça Mirage IIIEBR a decolar, para interceptar os OVNIs que apareciam sobre o estado de Goiás, na noite de 19 de Maio de 1986. Durante sua missão, o avião foi acompanhado por um OVNI, que respondia de forma inteligente às manobras do avião.


Artigo anterior sobre a Noite Oficial dos OVNIs Próximo artigo sobre a Noite Oficial

Por Jackson Luiz Camargo – ufojack@yahoo.com

Capitão Aviador Rodolfo da Silva e Souza estava em sua casa, quando o seu bip de alerta tocou, indicando o acionamento do alerta. Seguindo os protocolos, ele seguiu diretamente para a Base Aérea de Anápolis, em Goiás, onde um caça Mirage IIIEBR o aguardava para o cumprimento da missão. Em entrevista à revista Força Aérea, ele descreveu sua participação:

“Ao chegar, eu me dirigi, juntamente com os demais membros da equipe de alerta, imediatamente para os hangares, onde estavam posicionadas duas aeronaves F-103E. A equipe de manutenção já havia completado o seu trabalho e nos esperava, ao pé da escada, com as aeronaves prontas e armadas para a decolagem. Completei os cheques previstos para antes da partida e entrei em contato com o Oficial de Permanência Operacional (OPO) para informar que estava pronto. De imediato, recebi ordem para acionar o motor e decolar isolado. Meu ala permaneceu no solo. Em seguida, fiz contato com Anápolis, que me passou, de imediato, para a frequência do COpM que controlaria a interceptação. A primeira informação que recebi foi de que meu alvo se encontrava a uma distância de 100 milhas (185 Km) da posição em que eu estava. Pude perceber que o tempo estava bom, não havia nuvens e nem a lua aparecia. O céu, completamente estrelado, fazia um belo contraponto com a escuridão da noite”.
[Capitão Rodolfo da Silva e Sousa – Jaguar-98]

Às 23h17min, o Capitão Rodolfo decolou, a bordo de seu Mirage III, prefixo FAB-4918, unindo-se à perseguição, seguindo inicialmente para Oeste, em velocidade máxima. Sua busca se concentraria em uma área à Oeste e Sudoeste de Anápolis.

O então Capitão Aviador Rodolfo da Silva e Souza, piloto de caça envolvido nas perseguições à OVNIs, em Goiás, na noite de 19 para 20 de Maio de 1986.

 

A primeira interceptação do Capitão Rodolfo iniciou-se às 23h22, quando o controlador do voo, Sargento Enéas, orientou o militar, informando a posição de um alvo não identificado, aproximadamente 14 Km à frente do caça. O OVNI manobrou, curvando à direita, mas em nenhum momento o piloto conseguiu avistar o objeto.

Pouco depois, os radares indicaram a presença de outro alvo não identificado, na mesma região, a 9 Km de distância. Em função disso, o controlador o orientou a passar para o modo caçador, ou seja, com seu sistema de armas ativo e luzes de navegação apagadas. Ele acelerou o avião, para interceptar o UFO, chegando a apenas meia milha (~800 metros) do alvo. Mesmo assim tão perto, Capitão Rodolfo não avistou qualquer, aparelho ou luminosidade, que pudesse explicar o sinal registrado nos radares. O controlador orientou o piloto a fazer uma manobra em 360º, na tentativa de se aproximar e identificar o quer que fosse e novamente o Sargento Enéas informou que o objeto passou muito próximo ao caça.

Capitão Rodolfo insistiu nas suas tentativas de identificar o alvo indicado nos radares de superfície. Enquanto o Capitão Viriato não conseguia se aproximar do seu alvo, o Capitão Rodolfo esteve muito próximo do UFO registrado em seus instrumentos de bordo. Tão próximo que os radares de solo chegaram a confundir os sinais do caça e do alvo que estava sendo monitorado. às 23h25, após o controlador informar novamente que os instrumentos captavam o avião do Capitão Rodolfo e o UFO que estava muito próximo, ele entrou novamente em perseguição. Quando o piloto executava uma manobra para a esquerda ou direita, o objeto se mantinha a frente da aeronave durante toda a manobra, respondendo de forma inteligente às ações do militar. Em dado momento, o UFO aproximou-se novamente do caça, passando por ele e colocando-se diretamente à cauda da aeronave. Tudo isso testemunhado pelo controlador de voo atônito, que descrevia os registros do radar para o piloto. Essa perseguição levou tanto o UFO quanto o JG-98 para mais próximo da Base Aérea de Anápolis, chegando a 18 quilômetros de distância da pista.

 

“À medida que a distância diminuía, como não conseguia contato em meu radar de bordo, passei simultaneamente a realizar uma busca visual no espaço aéreo em torno da posição informada pelo COpM. Só que, mais uma vez, nada apareceu. Ainda estava nesse procedimento, sem sucesso, quando recebi a informação do controlador de que meu alvo havia mudado de posição e agora estava em outra direção, a 30 Km de distância. Fui então orientado para essa nova interceptação”.
[Capitão Rodolfo da Silva e Sousa – Jaguar-98]

 

Às 23h38, os radares indicaram alguns objetos não identificados nos arredores de Anápolis. O controlador direcionou o caça para o alvo mais próximo, orientando a aproximação. Em dado momento, o radar indicou que o caça passou sobre o objeto embora, novamente, o piloto nada tenha visto. O sinal do misterioso objeto foi perdido, ressurgindo pouco depois, a Nordeste, a aproximadamente 30 Km de distância.

Seguindo orientações do controlador de voo, o piloto aproximou-se da região, onde iniciou órbitas, ou seja, voos circulares a baixa velocidade, na tentativa de avistar algo. Pouco depois, às 23h48, outro alvo surgiu nessa região, a aproximadamente 6 Km de distância à Oeste.

Caça Mirage IIIEBR, semelhante ao usado pelo capitão Rodolfo, na noite de 19 para 20 de maio de 1986.

 

 

Às 23h48, o controle solicitou que ele se dirigisse para outra área, onde estavam sendo detectados alguns alvos não identificados. Esta nova área ficava a noroeste de sua posição anterior e rapidamente o caça chegou ao local, onde fez novas buscas visuais, visando localizar um sinal que estaria à uma distância de 5 Km. O UFO inicialmente seguia a oeste, mas com a aproximação do caça mudou sua trajetória para norte. Capitão Rodolfo acelerou seu avião, buscando aproximar-se do alvo, seguindo as orientações do controlador de voo. Segundo informações do radar, o UFO realizou uma manobra aumentando sua altitude e em seguida aproximou-se do JG-98. O militar realizou uma série de manobras, buscando visualizar o misterioso objeto, mas sem sucesso. Às 23h58, o controlador, atônito, descreveu a situação ao piloto com estas palavras:

Sargento Enéas [COpM]: Oh 98, é 99.
Capitão Rodolfo [JG-98] Na escuta!
Sargento Enéas [COpM]: Ok garoto… O plote está sempre às suas 6 horas, OK? Quando você faz curva, ele tá sempre fazendo curva à sua frente, ele vem pra cima de você, passa na sua vertical, em cima ou em baixo, nós não temos condições de detectar a altitude e fica na sua cauda o tempo todo. Quando você faz curva, ele some da posição e aparece sempre na sua frente.
Capitão Rodolfo [JG-98]: Eu vou apagar minhas luzes então, porque eu estou com a luz acesa.

 

Pouco depois desta nova tentativa frustrada de interceptação, o piloto foi chamado para retornar à Base Aérea de Anápolis.

 

Área de Concentração de Plotes

Durante sua missão, Capitão Rodolfo e o controlador de voo, Sargento Enéas, perceberam que os alvos se concentravam específica. Este tipo de comportamento foi muito documentado em diferentes pontos do país e também sobre o mar, no litoral de São Paulo e Rio de Janeiro, dentro dos fatos daquela noite. Estes locais, aparentemente, exerciam algum tipo de interesse nas inteligências por trás dessas manifestações. Em Goiás havia uma destas áreas e isso foi notado pelo Capitão Rodolfo, que comentou com o seu controlador de voo que os objetos estavam se concentrando dentro de uma área específica, situada 37 Km a oeste da Base Aérea de Anápolis. Os alvos permaneciam nessa área, e quando saíam, rapidamente voltavam à região.

Isso foi verificado por meio de vários radares diferentes, em diferentes pontos do território brasileiro. Toda essa perseguição aérea estava sendo registrada em vídeo, com a gravação das telas dos radares do Pico do Couto e de São Roque. Precisamente às 23h42, encerram-se as gravações do equipamento de São Roque e iniciaram-se as gravações da tela de radar do Gama, que tinham uma maior cobertura sob a área de busca dos caças Mirage.

Percebendo a importância dos fatos que estavam ocorrendo e da dificuldade em obter informações precisas, Capitão Rodolfo fez sugestões à Defesa Aérea, solicitando que fosse acionada uma aeronave T-25 para ajudar na missão. O controlador de voo, Sargento Enéas, repassou a solicitação para uma autoridade da Defesa Aérea, que acompanhava o desenrolar da missão. Embora esta solicitação tenha sido encaminhada, mais nenhuma outra aeronave da Força Aérea foi acionada naquela noite, além dos cinco caças envolvidos.

 

 

Referências:


  1. Arquivos CIPEX
  2. CAMARGO, Jackson Luiz. Noite Oficial dos UFOs no Brasil. Curitiba: Revista UFO, 2021.
  3. BAÈRE, Mauro. UFOs e Extraterrestres: Uma Jornada em Busca da Verdade. São Paulo: Editora Brilho coletivo, 2021.
  4. PETIT, Marco Antonio. Um Mergulho na Ufologia Militar Brasileira. Campo Grande: Revista UFO, 2007.
  5. CAMARGO, Jackson Luiz. REVELAÇÃO: A Noite Oficial dos UFOs no Brasil. Revista UFO, nº 287, p. 26 à 38, Fevereiro de 2022.
  6. CAMARGO, Jackson Luiz. Um novo olhar sobre a espantosa onda ufológica brasileira de 1986. Revista UFO, nº 235, p. 42 à 50, Junho de 2016.
  7. Ofício nº 008/CMDO/C-138, de 2 de junho de 1986, assinado pelo Comandante Interino do CODa, Brigadeiro José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, contendo o relatório final de investigação dos fatos ocorridos na noite de 19 de maio de 1986. Arquivo em PDF, contendo 8 páginas (3.36 MB).
  8. Relatório Manuscrito da Força Aérea Brasileira; Telex da Base Aérea de Anápolis para o Comdabra; relatório de voo e relatório dos pilotos envolvidos. Arquivo em PDF com 27 páginas (9.50 MB).
  9. Relatório do Tenente Hugo Nunes Freitas, Chefe controlador do COpM I, para o Chefe da Seção de Informações do COpM I. Arquivo em PDF com 4 páginas (1.65 MB).
  10. Ofício nº 07/OOP/C-130, de 29 de maio de 1986, com encaminhamento de documentos e gravações, emitido pelo Comandante do CINDACTA I para o o Comandante do COMDA. Arquivo em PDF com 11 páginas (3.29 MB).
  11. Ofício nº 001/SCOAM/C-046, emitido pelo comandante da Base Aérea de Anápolis, Coronel João Fares Neto, para o Comandante do COMDA, contendo quatro relatório, sendo de 3 pilotos de caça e de um controlador de voo. Arquivo em PDF com 5 páginas (1.95 MB).
  12. Relatório pessoal do Capitão Márcio Jordão, sobre seu voo de interceptação à OVNIs, em 19 de maio de 1986. Arquivo em PDF, com uma página (421 Kb).
  13. Relatório pessoal do Tenente Kleber Marinho, sobre seu voo de interceptação à OVNIs, em 19 de maio de 1986. Arquivo em PDF, com 2 páginas (362 Kb).
  14. Relatórios de voo, de caças que decolaram em missão de interceptação aos OVNIs, em 19 de maio de 1986. Arquivo em PDF, com 7 páginas (2.14 MB).
  15. Despacho nº 022/A2/C-376, relatando fatos ufológicos ocorridos em setembro de 1986, envolvendo pilotos da FAB. Arquivo em PDF, contendo 9 páginas (2.84 MB).
  16. Relatório Mensal do COpM, de agosto de 1986, contendo transcrição de ocorrências ufológicas registradas pelo CINDACTA I, e dois questionários feitos à testemunhas. Arquivo em PDF contendo 17 páginas (4.54 MB).
  17. Ofício nº 11/OOP/C-199, de 14 de julho de 1986, contendo relatos, depoimentos e transcrições do livro do Ajudante de Chefe Controlador do COpM, envolvendo registros de OVNIs em maio e junho de 1986. Arquivo em PDF contendo 19 páginas (4.27 MB)
  18. Informe nº 005/SI/86-CINDACTA II, de 5 de junho de 1986, referente à aparecimento de OVNI próximo à cidade de Bandeirante (PR). Arquivo em PDF, com 1 página (483 KB).
  19. Relatório de avistamentos ufológicos registrados pela FAB nas noites seguintes à Noite Oficial. Arquivo em PDF, com 12 páginas (2.63 MB).
  20. Ofício nº 006/A-2/C-046, do Comandante do III COMAR, contendo relatórios de avistamentos ufológicos na região de Uberaba, em 5 e 28 de Agosto de 1986. Arquivo em PDF contendo 3 páginas (1.30 MB).
  21. Telex contendo relato de avistamento na costa do Espírito Santo, em agosto de 1986. Arquivo em PDF, contendo 2 páginas (494 KB).
  22. Transcrição do Livro de Ocorrência Operacional do Ajudante Chefe Controlador, com relato de avistamento de piloto de caça em Junho de 1986. Arquivo em PDF contendo 2 páginas (774 Kb).
  23. Reportagens de jornal, coletadas pela FAB, sobre os eventos de 19 de maio de 1986 (1). Arquivo em PDF, contendo 4 páginas (6.06 MB).
  24. Reportagens de jornal, coletadas pela FAB, sobre os eventos de 19 de maio de 1986 (2). Arquivo em PDF, contendo 8 páginas (9.34 MB).
  25. Reportagens de jornal, coletadas pela FAB, sobre os eventos de 19 de maio de 1986 (3). Arquivo em PDF, contendo 5 páginas (8.85 MB).
  26. Documento do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, emitido com base em informes da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil. Contém duas páginas (136 KB).
  27. REIS, Carlos Alberto. Voltam os Discos Voadores (e com intensidade máxima)!. Revista PSI-UFO nº 1, p. 29 à 31. Setembro de 1986.
  28. GRANCHI, Irene. OVNIS Entre o Céu e a Terra: Não se tapa o Sol com a peneira!!! Revista PSI-UFO nº 1, p. 32 à 35. Setembro de 1986.
  29. GEVAERD, A. J. Aconteceu tudo de novo: Voltam os OVNIs! Revista Ufologia Nacional e Internacional, nº 10, p. 4 e 7. Outubro de 1986.
  30. COVO, Claudeir. Maio de 1986: A mobilização no céu brasileiro. Revista Planeta: O Assunto é Ufologia,  nº 14, p. 12 à 23.
  31. AMPEU Pesquisa. OVNIs em Montes Claros – Um Espanto. Revista UFO Lógica., p.4 e 5. Outubro de 1987.
  32. CARMO, Alberto Francisco. FAB e OVNIs: Opinião. Revista UFO Lógica., p.18. Outubro de 1987.
  33. RAAD, Mariana. A Noite!: Objetos voadores não identificados nos céus do Brasil. Revista Força Aérea, Ano 11, nº 43, p.44 à 55. Junho, Julho e Agosto de 2006.
  34. ALBINO, Wallacy. Aviões versus UFOs. Revista UFO, ed. 94, p. 14 à 19. Dezembro de 2003
  35. BOAVENTURA JR, Edison. Maio de 1986: Continua o Silêncio!. Boletim GUG, nº 40, p. e 7. Abril/Junho de 1996.
  36. Coronel Ariel Sanchéz, em entrevista à A.J. Gevaerd, publicado na Revista UFO, edições 185 e 186, de Fevereiro e Março de 2012.
  37. COVO, Claudeir. Confirmado: Os registros militares sobre a Noite Oficial dos UFOs no Brasil, de 19 de maio de 1986, coincidem com as investigações realizadas por ufólogos civis sobre aquela que é considerada a maior movimentação ufológica do país. Revista UFO, ed. 111, p. 18 à 21, de Junho de 2005.
  38. MARTINHO, Jeferson. UFOs registrados pela Aeronáutica Brasileira. Revista UFO nº 78, p. 14 à 19. Agosto de 2001.
  39. É hora de encerrar o segredo sobre os discos voadores. Revista UFO, nº 200, p. 15 à 25. Maio de 2013.
  40. PETIT, Marco Antonio. Invasão: O Governo Brasileiro libera documentos secretos sobre a Noite Oficial dos UFOs no Brasil, que confirmam que uma grande frota de UFOs sobrevoou o país em 19 de maio de 1986. Revista UFO, nº 200, p. 44 à 51. Maio de 2013.
  41. PETIT, Marco Antonio. Moreira Lima faz revelações sobre UFOs. Revista UFO nº49, p. 12 à 16. Fevereiro de 1997.
  42. MARTINHO, Jeferson. Política com tom ufológico.  Revista UFO, nº 99, p. 12 à 15. Maio de 2004.
  43. Lockheed SR-71 Blackbird. Revista Asas de Guerra, nº 7, p. 134 à 137. 1997
  44. BARANOFF, Basílio. Onda ufológica de 19/05/86. Revista PSI-UFO, nº 4, p; 28 à 33, de Janeiro/Fevereiro de 1987.
  45. PETIT, Marco Antonio. OVNIs no Rio de Janeiro. Revista PSI-UFO, nº 3, p.11 à 15, de Novembro/Dezembro de 1986.
  46. CURY, Rafael. Discos Voadores e a FAB. Revista Realismo Fantástico nº 6,  p. 26 à 28.  Julho de 1995.
  47. PETIT, Marco Antonio. Fim do Acobertamento ufológico: A hora da verdade. Revista UFO, edição 138, p. 16 à 19. Janeiro de 2008.
  48. VISONI, Rodrigo Moura. A Noite Oficial dos OVNIs. Aeromagazine, nº 301, p. 74-81. Junho de 2019.
  49. BOAVENTURA Jr, Edison e SANTANA, Sérgio. Noite Oficial dos OVNIs: Dez dias de invasões nos céus do Brasil. Revista OVNI Pesquisa, nº 2, p. 6 à p. 11. Agosto de 2018.
  50. SANTANA, Sérgio. A Noite Oficial dos OVNIs. Revista OVNI Pesquisa, nº 6, p.20 à 22. Julho de 2020.
  51. BOAVENTURA JR, Edison. A Noite Oficial dos OVNIs. Revista OVNI Pesquisa, nº 6, p. 24. Julho de 2020.
  52. OLIVEIRA, Rafaela. Eventos extraordinários sendo tratados com descaso. Revista OVNI Pesquisa, nº 6, p. 24. Julho de 2020.
  53. Macro Efeitos da  Micro-onda de 1986. Boletim da Sociedade Brasileira de Estudos de Discos Voadores, nº 168/173, de Janeiro/Dezembro de 1986.
  54. https://www.tvkz.com.br/regiao/araxa/ovnis-foram-vistos-em-araxa-e-uberlandia-na-noite-dos-discos/12014
  55. https://oberhalbthoth.blogspot.com/2018/05/a-noite-oficial-dos-ovnis-no-brasil_19.html
  56. https://portalcontexto.com/anapolis-esteve-na-rota-da-noite-oficial-dos-ovnis-no-brasil-ha-35-anos/
  57. https://www.bbc.com/portuguese/brasil-59953278
  58. https://g1.globo.com/ciencia/noticia/2022/01/14/a-noite-em-que-21-ovnis-invadiram-o-espaco-aereo-brasileiro-e-foram-perseguidos-por-cacas-da-fab.ghtml
  59. https://economia.uol.com.br/todos-a-bordo/2021/05/18/noite-oficial-ovnis-35-anos.htm
  60. https://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2022/01/a-noite-em-que-21-ovnis-invadiram-o-espaco-aereo-brasileiro-e-foram-perseguidos-por-cacas-da-fab.shtml
  61. https://noticias.r7.com/hora-7/noite-oficial-dos-ovnis-os-misterios-do-maior-caso-ufologico-brasileiro-22032019
  62. https://www.aereo.jor.br/2022/01/16/a-noite-em-que-21-ovnis-foram-perseguidos-por-cacas-da-forca-aerea-brasileira/
  63. https://sjc.com.br/2020/06/28/noite-oficial-dos-ovnis/
  64. https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/noite-dos-ovinis-um-misterio-de-34-anos-nao-solucionado-pela-forca-aera-brasileira.phtml
  65. https://history.uol.com.br/ovnis-e-misterios/noite-oficial-dos-ovnis-continua-ser-um-dos-maiores-misterios-ufologicos-do
  66. https://redegeek.com.br/2017/09/19/ultrageek-305-noite-oficial-dos-ovnis/
  67. https://www.sjcantigamente.com.br/34-anos-da-noite-oficial-dos-ovnis/
  68. https://www.saindodamatrix.com.br/noite-oficial-dos-ovnis/
  69. https://www.megacurioso.com.br/ciencia/120957-noite-dos-discos-voadores-assustou-o-brasil-ha-quase-36-anos.htm
  70. https://www.taiadaweb.com.br/a-noite-dos-ovnis-21-ovnis-estiveram-em-sjc-e-cacapava-e-foram-perseguidos-por-cacas-da-fab/
  71. https://www.mundofreak.com.br/2018/02/22/mundo-freak-confidencial-190-noite-oficial-dos-ovnis/
  72. https://www.eusemfronteiras.com.br/relatos-noite-oficial-dos-ovnis/
  73. https://jws.com.br/2022/01/a-noite-dos-ovnis-no-brasil-entrevista-com-ozires-silva-fundador-da-embraer/
  74. https://rollingstone.uol.com.br/noticia/ha-35-anos-noite-dos-discos-voadores-assustou-moradores-em-estados-do-brasil/
  75. https://ufosfacts.org/2021/09/23/relatorio-noite-oficial-dos-ufos-ministerio-da-aeronautica/
  76. https://www.wemystic.com.br/noite-oficial-dos-ovnis/
  77. https://7minutos.com.br/noticias/anapolis/anapolis-esteve-na-rota-da-noite-oficial-dos-ovnis-no-brasil-ha-35-anos/
  78. http://www.portalburn.com.br/tag/noite-oficial-dos-ovnis/
  79. https://ufosfacts.wordpress.com/2012/06/14/noite-oficial-dos-ovnis-no-brasil/
  80. https://www.pressreader.com/brazil/mundo-em-foco/20220131/281934546367070
  81. https://arquivoufo.com.br/2012/04/19/21-ovnis-foram-perseguidos-por-cacas-sobre-o-ceu-de-sao-paulo-1986/
  82. https://arquivoufo.com.br/2017/06/21/noite-oficial-dos-ovnis-e-o-caso-ufologico-mais-legitimo-do-mundo/
  83. https://portalcontexto.com/anapolis-esteve-na-rota-da-noite-oficial-dos-ovnis-no-brasil-ha-35-anos/
  84. https://livrosderomancebeatrizfield.blogspot.com/2016/10/curiosidades-sobre-noite-oficial-dos.html
  85. SILVA, Ozires. A decolagem de um sonho: História da Criação da Embraer. São Paulo: Lemos Editorial, 1998.
  86. Gravações da Noite Oficial: Fita 1 – Lado A – Audio da Torre de Controle do Aeroporto de São José dos Campos
  87. Gravações da Noite Oficial: Fita 1 – Lado B – Audio da Torre de Controle do Aeroporto de São José dos Campos
  88. Gravações da Noite Oficial: Fita 2 – Lado A – Audio da Torre de Controle do Aeroporto de São José dos Campos
  89. Gravações da Noite Oficial: Fita 2 – Lado B – Audio da Torre de Controle do Aeroporto de São José dos Campos
  90. Gravações da Noite Oficial: Fita 3 – Lado A – Audio da Torre de Controle do Aeroporto de São José dos Campos
  91. Gravações da Noite Oficial: Fita 3 – Lado B – Audio da Torre de Controle do Aeroporto de São José dos Campos
  92. Gravações da Noite Oficial: Fita 4 – Lado A – Gravação das Comunicações entre o caça Jaguar 98 e a Defesa Aérea
  93. Gravações da Noite Oficial: Fita 4 – Lado B – Gravação das Comunicações entre o caça Jaguar 98 e a Defesa Aérea
  94. Gravações da Noite Oficial: Fita 5 – Lado A – Gravação das Comunicações entre o caça Jambock 07 e a Defesa Aérea
  95. Gravações da Noite Oficial: Fita 5 – Lado B – Gravação das Comunicações entre o caça Jambock 07 e a Defesa Aérea
  96. Gravações da Noite Oficial: Fita 6 – Lado A – Gravação das Comunicações entre o caça Jaguar-116 e a Defesa Aérea
  97. Gravações da Noite Oficial: Fita 6 – Lado B – Gravação das Comunicações entre o caça Jaguar-116 e a Defesa Aérea
  98. Gravações da Noite Oficial: Fita 7 – Lado A – Gravações telefônicas diversas
  99. Gravações da Noite Oficial: Fita 8 – Lado A – Gravação das Comunicações entre o caça Jambock- 17 e a Defesa Aérea
  100. Gravações da Noite Oficial: Fita 8 – Lado B – Gravação das Comunicações entre o caça Jambock- 17 e a Defesa Aérea
  101. ROCHA JR, J. S. Invasão de Tráfego Aéreo em 1986. Revista UFO, nº 55, p. 27. Novembro de 1997.
  102. EQUIPE UFO. Entrevista com Brigadeiro Sócrates Monteiro. Revista UFO, 163. Março de 2010
  103. Reportagem do programa Fantástico da Rede Globo exibido em 22/05/2016.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

um × 2 =