O Governo Americano reconhece o Fenômeno OVNI, mas não tanto…

Por: Jackson Camargo Comentários: 0

Avistamentos de OVNIs são reais, mas os alienígenas não são responsáveis, segundo o governo dos Estados Unidos.


O governo dos EUA confirmou recentemente os relatórios de pilotos militares sobre fenômenos aéreos não identificados (UAP), que são mais comumente chamados de objetos voadores não identificados (OVNIs). O governo também reconheceu a necessidade de entender melhor o UAP para fins de segurança do piloto e segurança nacional, mas não houve menção de alienígenas visitando a Terra, mas a possibilidade não foi descartada. Por décadas, o governo dos EUA negou a existência de OVNIs, tornando este um passo importante.

História dos avistamentos de OVNIs

O primeiro avistamento de OVNI amplamente divulgado foi feito em 24 de junho de 1947, por um piloto amador chamado Kenneth Arnold, como explica o The Atlantic . O Sr. Arnold estava voando de sua casa em Idaho para um show aéreo em Oregon e fez um desvio para Mount Rainier, Washington.

De repente, o Sr. Arnold viu um flash de luz azul-esbranquiçada brilhante, seguido por nove flashes adicionais em rápida sucessão. As luzes vinham de nove objetos “do tipo circular” movendo-se em uníssono pelo céu. Usando as montanhas como pontos de referência e o relógio em seu painel, Arnold estimou que os objetos percorreram uma distância de 80 quilômetros em 1 minuto e 42 segundos antes de desaparecer de vista. Isso seria o dobro da velocidade do som. O Sr. Arnold ficou surpreso, mas pensou que os objetos voadores poderiam ser novas aeronaves militares.

Depois de chegar em Oregon, o Sr. Arnold descreveu os objetos voadores não identificados que ele tinha visto a um repórter. Como piloto experiente, empresário respeitado e pai de família, o Sr. Arnold parecia ser uma testemunha confiável. O jornal local publicou um breve artigo, que foi escolhido pela Associated Press e divulgado em todo o país. Alguns meios de comunicação usaram o termo “disco voador”, que inflamou a imaginação do público.

No final de 1947 – apenas seis meses após o avistamento de OVNIs do Sr. Arnold – um total de 140 jornais de todos os Estados Unidos e Canadá relataram 853 avistamentos de OVNIs e partir dai os discos voadores logo se tornariam onipresentes em histórias em quadrinhos, programas de TV e filmes.

Os militares negam todas as evidências de OVNIs

Apenas duas semanas após o avistamento de OVNI do Sr. Arnold, a Força Aérea se sentiu compelida a emitir uma declaração sobre a queda de um balão meteorológico militar em Roswell, Novo México. O incidente foi inicialmente relatado como um possível acidente de “disco voador”. A explicação da Força Aérea não teve o efeito desejado, e “Roswell” ainda é sinônimo de OVNIs e teorias sobre conspirações envolvendo o acobertamento governamental sobre o tema.

O Exército enviou oficiais para falar com o Sr. Arnold, e eles concluíram oficialmente que ele tinha visto uma miragem ou estava tendo alucinações. No entanto, os avistamentos de OVNIs persistiram. Dada a possibilidade de que os OVNIs pudessem ser aeronaves soviéticas sofisticadas, a Força Aérea dos EUA lançou uma investigação de OVNIs chamada Projeto Livro Azul em 1952. Como explica a Britannica, 12.000 relatórios de avistamentos de OVNIs ou eventos relacionados foram coletados de 1952 a 1969. Apenas 6% não puderam ser explicados, alegadamente por causa de informações insuficientes. Depois do encerramento do programa, os militares continuaram a negar qualquer evidência de objetos voadores que não pudessem ser explicados, o que encorajou ainda mais os teóricos da conspiração.

Os militares reconhecem a existência de UAP

O documento reconhecendo a existência de UAP veio do Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional em junho de 2021. É uma avaliação preliminar de inteligência da ameaça representada por UAP e o progresso feito pelo Departamento de Defesa na compreensão da ameaça.

O relatório se concentrou em eventos ocorridos entre 2004 e 2021, com a maioria ocorrendo nos últimos dois anos. O aumento ocorre porque um sistema padronizado de relatórios de OVNIs foi estabelecido pela Marinha em 2019 e foi totalmente adotado em 2020. O documento usa o termo “fenômenos aéreos não identificados” (UAP, em sua sigla em inglês) para remover o estigma associado ao termo OVNIs.

O relatório se concentrou em UAP testemunhado em primeira mão por pilotos militares e aqueles registrados em sensores de aeronaves, incluindo radar, infravermelho, eletro-óptico e buscadores de armas. Esses sensores podem fornecer informações precisas sobre tamanho relativo, forma, estrutura, velocidade e alcance.

A explicação militar para UAP

Dos 144 relatórios de UAP incluídos nesta investigação de OVNIs, 80 envolveram vários sensores. A maioria dos UAPs pareciam ser objetos físicos. Um foi identificado com alta confiança como um balão grande e desinflado. Os 143 UAP restantes permanecem inexplicáveis.

Espera-se que todos os incidentes de UAP sejam eventualmente incluídos em uma das cinco categorias:

Desordem aérea (pássaros, balões, drones recreativos, sacolas plásticas)
Fenômenos atmosféricos naturais (cristais de gelo, umidade, flutuações térmicas)
Programas de desenvolvimento dos EUA ou da indústria (programas governamentais classificados)
Sistemas de adversários estrangeiros (aviões avançados de outros países que não os EUA que usam tecnologia inovadora)
Outros (UAP sem dados suficientes para serem identificados e espaçonaves alienígenas)

Em 18 relatórios, o UAP exibiu padrões de movimento incomuns e “parecia permanecer estacionário em ventos no alto, mover-se contra o vento, manobrar abruptamente ou mover-se em velocidade considerável, sem meios discerníveis de propulsão”. Esses padrões podem ser devidos a erros de sensores ou percepção errônea do observador, mas também podem ser devidos a tecnologias inovadoras (da Terra) ou alienígenas.

Um aumento recente nos avistamentos de OVNIs?

O New York Times e outros meios de comunicação relataram que os avistamentos de OVNIs aumentaram em 2020. Isso foi amplamente atribuído à pandemia do COVID-19 e a mais pessoas olhando para o céu noturno porque não tinham para onde ir.

O National UFO Reporting Center (fundado em 1974) e a Mutual UFO Network (fundada em 1969) são agências não governamentais que coletam informações e investigam avistamentos de OVNIs. A grande maioria dos avistamentos pode ser atribuída a satélites, meteoros, o planeta Vênus, pássaros, morcegos, aviões, drones e a luz pregando peças no olho ou na lente da câmera. Pesquisadores sérios de OVNIs sabem que os humanos não são adeptos de medir o tamanho, velocidade e distância de um objeto no ar, especialmente quando não há objetos de fundo para comparação.

Uma pequena porcentagem de avistamentos de OVNIs permanece sem explicação, mas essa porcentagem não muda quando mais avistamentos são relatados. Muitas vezes, um aumento nos relatórios pode ser atribuído a histórias de OVNIs nas notícias – como as que cobrem o relatório do governo recém-lançado sobre fenômenos aéreos não identificados.

A grande maioria dos objetos voadores não identificados definitivamente não são manifestações alienígenas. No entanto, os astrônomos estimam que existam 300 milhões de mundos habitáveis ​​apenas na Via Láctea – não é irracional ficar atento.

A recente liberação de vídeos da Marinha dos Estados Unidos é um marco na comunidade ufológica internacional.

 

Artigo original em:


  1. https://now.northropgrumman.com/ufo-sightings-are-real-but-aliens-are-not-responsible/

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 × 1 =