Pilotos avistam fenômeno luminoso sobre Yellowknife, Canadá

Por: Jackson Camargo Comentários: 0

Um Relatório de voo detalha incidente ufológico, envovlendo um voo comercial sobre a região de Yellowknife, Canadá.


Neste artigo:


Introdução

Os controladores de tráfego aéreo e um voo comercial que se aproximava não conseguiram identificar “duas luzes brancas … movendo-se em um padrão circular” que foram relatadas sobre a região de Yellowknife, Canadá, por volta das 23h15, em 29 de janeiro de 2023.

Boa noite, só queria saber, você tem dois aviões que estão a leste de seu campo fazendo circuitos ou manobras?” questionou um membro da tripulação a bordo de um voo da companhia Canadian North, voando de Fort McMurray, Alberta  para Yellowknife, Territórios do Noroeste.

O relatório oficial detalha o avistamento de pilotos que se aproximavam para pousar no aeroporto de Yellowknife, em 29 de janeiro de 2023.

 

Negativo, não tenho tráfego relatado na área“, respondeu um controlador de tráfego aéreo em Yellowknife. “Você tem um visual em alguma coisa?

Sim, estamos vendo duas luzes dançando por aqui, a leste de seu campo“, disse a tripulação da aeronave turboélice da Canadian North. “Eles estão acima de nós, não sei o quê. Não os estamos vendo no TCAS (sistema de prevenção de colisões de tráfego). Mas podemos ver as luzes se movendo.

Também não tenho nada no radar. Deixe-me falar com o centro“, respondeu a torre, provavelmente referindo-se ao centro de controle de área (ACC). Um momento depois, o controlador de tráfego aéreo voltou ao rádio.

Ei, o centro não tem informações sobre nenhum movimento na área, então estou realmente imaginando o que você está vendo aí“, disseram eles.

Sim, nós também“, respondeu o vôo.

Um avião turboélice, da Canadian North, semelhante ao envolvido no incidente.

 

Tudo bem, estou tentando olhar“, disse o controle de tráfego aéreo, provavelmente espiando pela janela de uma torre. “Eu não os vejo do chão aqui. Bem, vou ficar de olho. Vou falar com o centro de novo.

Sim, não se preocupe“, respondeu a tripulação. “Eles não são um risco para nós.

Com sede no subúrbio de Ottawa, Kanata, a Canadian North atende a vários destinos no norte do Canadá. À medida que o vôo se aproximava de Yellowknife, a tripulação do Canadian North descreveu ter visto as luzes “se movendo em um padrão circular” bem acima deles, aproximadamente 20 quilômetros a noroeste do aeroporto.

Vamos conversar no solo“, disse o controlador de tráfego aéreo. “Vou registrar um relatório do CIRVIS – é quando temos alguns avistamentos que não podemos explicar.

O controle de tráfego aéreo civil no Canadá é operado pela empresa privada Nav Canada. De acordo com as diretrizes de aviação da Nav Canada , os relatórios CIRVIS – abreviação de “Instruções de comunicação para relatar avistamentos de inteligência vital” – devem ser feitos “imediatamente após um avistamento de inteligência vital de quaisquer objetos aéreos e terrestres ou atividades que pareçam hostis, suspeitas, não identificadas ou envolvido em possível atividade de contrabando ilegal“. A Nav Canada até coloca “objetos voadores não identificados” na frente de uma lista de exemplos de “avistamento de inteligência vital”, que também inclui “submarinos ou navios de guerra de superfície identificados como não canadenses ou não americanos“.

O controlador de tráfego aéreo volta ao rádio para perguntar de que cor são as luzes.

Branco“, é a resposta.

Roger, obrigado.”

Há então uma pausa antes que o tripulante volte ao rádio para dizer: “Não estamos loucos“.

Não, nós acreditamos em você.

O incidente foi relatado pela primeira vez pela Cabin Radio , com sede em Yellowknife. O áudio estendido foi retirado do LiveATC.net, um site que transmite rádio de controle de tráfego aéreo.

O incidente também aparece em um par de relatórios publicados no banco de dados de incidentes de aviação on-line da Transport Canada (Departamento de Transporte do Governo Canadense) em 10 e 14 de fevereiro, com dados fornecidos pela Nav Canada.

Cobrindo tudo, desde colisões com pássaros até passageiros indisciplinados, o banco de dados da Transport Canada também é repleto de quase três décadas de avistamentos estranhos de policiais, soldados, controladores de tráfego aéreo e pilotos em voos médicos, militares, de carga e de passageiros operados pela WestJet, Air Canada Express, Porter Airlines, Delta e muito mais. Somente em 2022, o CTVNews.ca descobriu 11 relatos como esses de pilotos voando para companhias aéreas como Air Canada, WestJet, Virgin Atlantic, United e KLM. Um dos mais recentes vem de 7 de fevereiro de 2023, quando um voo de carga de Miami para Amsterdã “observou luzes incomuns, movendo-se erraticamente de 40.000 pés a 50.000 pés” enquanto voava perto da Nova Escócia.

A Transport Canada adverte que esses “relatórios contêm dados preliminares não confirmados que podem estar sujeitos a alterações“. Um porta-voz da Transport Canada disse anteriormente ao CTVNews.ca que os relatórios do CIRVIS “não têm potencial para aplicação regulatória e muitas vezes ficam fora do escopo do departamento“.

Relatos de objetos não identificados raramente podem ser seguidos, pois são, como o título indica, não identificados”, disseram eles.

Os procedimentos do CIRVIS também enviam notificações para um esquadrão da Royal Canadian Air Force vinculado ao NORAD . Embora não se saiba se houve uma resposta neste caso, os militares canadenses rotineiramente declaram que “normalmente não investigam avistamentos de fenômenos desconhecidos ou inexplicáveis ​​fora do contexto de investigação de ameaças críveis, ameaças potenciais ou perigo potencial no caso de busca e resgate“. Antes da derrubada dos três objetos não identificados no início deste mês, pelo menos quatro casos parecem ter atendido a esses critérios desde 2016.

Nos EUA, tanto o Pentágono quanto a NASA estão estudando o que chamam de UAP, abreviação de fenômenos aéreos não identificados (ou anômalos), um termo que está substituindo OVNI e “objeto voador não identificado” nos círculos oficiais.

A Transport Canada e o Departamento de Defesa Nacional não responderam aos pedidos de comentários. Em uma declaração ao CTVNews.ca, um porta-voz da Nav Canada confirmou seus procedimentos de denúncia.

Como prática, não compartilhamos ou validamos gravações de áudio [de controle de tráfego aéreo], exceto com autoridades no contexto de uma investigação ou revisão de segurança”, disse o porta-voz na quinta-feira.

Um porta-voz da Canadian North não pôde oferecer nenhuma explicação para o que a tripulação testemunhou.

Sem nada no relatório que representasse um risco ou ameaça para nossas aeronaves, passageiros ou operações, não havia nada que exigisse acompanhamento“, disse o porta-voz da companhia aérea ao CTVNews.ca na sexta-feira. “Pelo áudio, tudo o que foi observado não estava na trajetória de voo da aeronave”.

Iain Boyd é professor de engenharia aeroespacial e diretor do Centro de Iniciativas de Segurança Nacional da Universidade do Colorado.

Acho que as cores e os padrões circulares são os aspectos mais incomuns desse incidente em particular. Mas, no final, era mais provável que alguém se comportasse mal com uma configuração de laser sofisticada“, disse Boyd ao CTVNews.ca. “Acho que foi tratado adequadamente. O pessoal do tráfego aéreo fez boas perguntas para tentar entender o que o piloto estava vendo. Eles compartilharam informações como se não estivessem vendo nada no radar. Eles informaram ao piloto que o tráfego aéreo planejava enviar um CIRVIS . Esta foi uma comunicação bidirecional boa e eficaz.

Robert Powell é um engenheiro residente no Texas e membro do conselho fundador da Scientific Coalition for UAP Studies , um thinktank internacional dedicado à aplicação de princípios científicos à pesquisa UAP. Ele diz que, neste caso, simplesmente não há informações suficientes para tirar uma conclusão.

Acho que nada foi feito que permitisse a identificação do objeto”, disse Powell ao CTVNews.ca. “Deveria haver um grupo designado para investigar os relatórios do CIRVIS. Suspeito que eles simplesmente foram arquivados. Não havia nada no relatório que me fizesse suspeitar de interferência do laser.

 

 

Com informações de:


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 5 =