Sistema de Antenas fará busca por vida extraterrestre

Por: Jackson Camargo Comentários: 0

Um poderoso sistema de antenas começará a escanear o céu noturno em busca de sinais enviados por extraterrestres até o final da década.


Um enorme radiotelescópio começará a escanear o céu noturno em busca de sinais enviados por extraterrestres até o final da década.

O Square Kilometer Array (SKA) contará com impressionantes 197 parabólicas e 130.000 antenas localizadas na África do Sul e na Austrália.

Ele foi projetado para captar sinais de rádio – naturais e feitos por extraterrestres – que são muito fracos para os telescópios atuais detectarem.

A construção começou no ano passado e, antes de sua abertura em 2025, os pesquisadores agora estão desenvolvendo o software necessário para alimentá-lo.

Segundo a BBC News, uma equipe de cientistas britânicos está construindo um protótipo de “cérebro” para o SKA, que será o maior radiotelescópio do mundo.

Ele será testado em uma parte da infraestrutura antes de ser implementado na rede.

O cérebro artificial ajudará partes da rede a se comunicarem entre continentes e representa um enorme desafio de computação, disse à BBC o Dr. Chris Pearson, líder do grupo de astronomia da RAL Space.

“Estamos falando de algo como 600 petabytes (600 milhões de gigabytes) por ano de dados que saem do SKA, para serem entregues aos astrônomos em todo o mundo”, disse ele.

“Então é um problema de escala, é um problema de processamento, é um problema de transferência de dados.

O Observatório SKA é um projeto internacional de US$ 1,84 bilhão que está em construção há 30 anos.

O projeto de radiotelescópio Square Kilometer Array está em desenvolvimento nos últimos 30 anos. REUTERS/Mike Hutchings

 

Em vez de um único telescópio, é um conjunto de pratos e antenas que, juntos, reunirão ondas de rádio originadas dos locais mais longínquos do espaço.

Será capaz de reunir ondas de rádio de baixa frequência que datam de quase 14 bilhões de anos ao nascimento do cosmos.

Além disso, os cientistas usarão o telescópio para tentar detectar sinais de rádio extraterrestres extremamente fracos – caso eles existam.

Os astrobiólogos usarão a tecnologia para caçar aminoácidos, os blocos de construção da vida, em planetas e asteróides distantes, identificando suas assinaturas especiais em frequências específicas.

As várias antenas parabólicas e antenas do SKA serão conectadas umas às outras para que possam compartilhar grandes quantidades de dados.

Cientistas britânicos esperam que o radiotelescópio Square Kilometer Array possa transmitir mais de 600 milhões de gigabytes de sinais vindos do espaço. REUTERS/Apostila – SKA Organization/Swinburne Astronomy

 

Para fazer isso, eles terão que operar em perfeita harmonia para se comunicar entre si em locais na região de Karoo, na África do Sul, e em Murchison Shire, na Austrália Ocidental.

Os custos são enormes e o governo do Reino Unido se ofereceu para financiar 15% dos custos de construção entre 2021 e 2030.

O dinheiro no valor de US$ 16,24 milhões será fornecido através do Conselho de Instalações de Ciência e Tecnologia (STFC) para o desenvolvimento de software.

Chamado de “cérebro” do telescópio, ele foi projetado para identificar problemas e traduzir os sinais recebidos pelo telescópio em dados com os quais os cientistas podem trabalhar para fazer novas descobertas.

Vamos começar pequeno“, disse o Dr. Pearson.

O software que produzimos funcionará primeiro em quatro antenas de rádio na África do Sul. E se você está falando daquelas pequenas antenas na Austrália, ele funcionará em seis estações (de 256 antenas) em primeira instância. E então temos que dimensionar de maneira inteligente. Não podemos fazê-lo linearmente à medida que o número de parabólicas e antenas aumenta, ou será impossível.”

O SKA se juntará a uma série de telescópios de próxima geração que começarão a operar nesta década.

Isso inclui o recém-lançado Telescópio Espacial James Webb e o massivo European Extremely Large Telescope (E-ELT).

Esta história apareceu originalmente no The Sun e foi reproduzida aqui com permissão.

Cientistas esperam que o sistema de antenas auxilia a busca por vida extraterrestre. AP Photo/Schalk van Zuydam

 

Com informações de:


  1. https://nypost.com/2022/04/12/brain-machine-could-hear-alien-signals-by-2030/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

treze − 2 =