Um passo significativo para a Exobiologia

Por: Fenomenum Comentários: 0

Cientistas deram um passo importante para descobrir vida extraterrestre depois de encontrar um composto químico vital para a criação da vida.


Os cientistas descobriram um planeta feito de gelo, poeira e gás a 444 anos-luz de distância, contendo uma molécula orgânica complexa que pode levar à vida. O éter dimetílico é um produto químico que é um alicerce fundamental da vida, pois é responsável por se transformar em prebióticos, como aminoácidos e açúcares. A descoberta inovadora é a primeira desse tipo, despertando a esperança de que haja vida além do nosso planeta azul.

O co-autor Dr. Nienke van der Marel, do Observatório de Leiden, disse: “Éter dimetílico é a maior molécula já detectada em um disco de formação de planetas.

“Já foi visto antes nas nuvens frias em que as estrelas estão se formando, mas ainda não em um ambiente onde os planetas estão se formando.

“Isso significa que essas moléculas podem acabar nos planetas diretamente à medida que se formam.

“A molécula é particularmente importante, pois é uma ‘molécula orgânica complexa’, que é o ponto de partida de grandes moléculas que são os blocos de construção da vida por meio de outras reações químicas”.

O composto foi descoberto em torno da jovem estrela IRS 48 – localizada no céu do sul na constelação de Ophiuchus.

Tem sido o foco de vários estudos porque o disco contém uma “armadilha de poeira” assimétrica em forma de castanha de caju.

O autor principal Nashanty Brunken, estudante de mestrado, disse: “A partir desses resultados, podemos aprender mais sobre a origem da vida em nosso planeta e, portanto, ter uma ideia melhor do potencial de vida em outros sistemas planetários.

“É muito emocionante ver como essas descobertas se encaixam no quadro geral.”

Os cientistas já detectaram dimetil em nuvens formadoras de estrelas – mas nunca antes em um disco protoplanetário.

Mundos incipientes podem surgir das bolas rotativas que se desenvolvem em torno de um sol recém-nascido.

Com nove átomos, o produto químico é a maior molécula orgânica complexa (COM, em sua sigla em inglês) identificada em tal disco até hoje.

Ele lança uma nova luz sobre como eles são incorporados aos planetas – incluindo o nosso.

A equipe holandesa utilizou o ALMA (Atacama Large Millimetre/submillimetre Array) no Chile – o maior radiotelescópio do mundo.

A co-autora Drª Alice Booth disse: “É realmente emocionante finalmente detectar essas moléculas maiores em discos. Por um tempo, pensamos que talvez não fosse possível observá-las”.

Eles só se tornam detectáveis ​​quando o aquecimento do IRS 48 faz com que o gelo passe de sólido para gás, liberando-os.

Booth disse: “O que torna isso ainda mais emocionante é que agora sabemos que essas moléculas maiores e complexas estão disponíveis para alimentar os planetas em formação no disco.

“Isso não era conhecido antes, pois na maioria dos sistemas essas moléculas estão escondidas no gelo.”

O estudo em Astronomy & Astrophysics sugere que outros COMs também podem estar ocultos.

O Telescópio Espacial James Webb – lançado em 25 de dezembro de 2021 – pode analisar atmosferas de planetas flutuando ao redor outras estrelas da galáxia com detalhes sem precedentes.

Foi aclamado como um divisor de águas na busca por extraterrestres. O mais promissor – conhecido como K2-18b – está a 110 anos-luz de distância.

Esta descoberta desperta a esperança de vida extraterrestre(Imagem: Getty).

 

O composto foi encontrado na constelação de Ophiuchus.(Imagem: Grupo VW Pics/Universal Images via Getty Images)

 

Busca alienígena deu impulso após planeta contendo substância química chave para a vida encontrado – ‘Emocionante'(Imagem: Mark Waghorn/SWNS).

 

 

Artigo original em:


https://www.express.co.uk/news/science/1577617/aliens-search-mystery-planet-chemical-dimethyl-ether-found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 × dois =