Pouso em Tully, Austrália

Por: Jackson Camargo Comentários: 0

Impressionante caso de pouso de disco voador ocorrido em um lago nas proximidades de Tully, ao norte de Queensland, na Austrália.

Na manhã do dia 19 de janeiro de 1966, por volta das 9:00 um fazendeiro de 28 anos de idade chamado George Pedley estava dirigindo seu trator próximo à Horseshoe Lagoon, na propriedade de Albert Pennisi, near Tully, ao norte de Queensland, na Australia. Quando ele estava a 25 metros da lagoa ele ouviu um ruído mais alto que o barulho do trator.

“De repente, um objeto surgiu vindo do pântano. Quando eu olhei ele já estava a uns 10 metros de altura, e na altura do topo das arvores. Ele era largo, cinza, em formato de disco, convexo no topo e na base e media aproximadamente 7 metros de diâmetro por 2 de altura. Enquanto eu observava surgiu outro aproximando-se muito rapidamente. depois ele fez um mergulho raso e foi embora numa velocidade tremenda. Subindo num angulo de 45 graus e desaparecendo em segundo na direção sudoeste”.

Outra surpresa veio quando Pedley percorreu a região e chegou ao local onde o objeto havia surgido. No pântano no meio da lagoa havia uma grande área circular que estava livre de caniços e onde a água rodopiava lentamente. Estava bem diferente de três horas antes quando a testemunha passou pelo local.

Poucas horas mais tarde, Pedley retornou à lagoa para dar uma segunda olhada. O local havia mudado porque a área circular estava agora coberta por plantas verdes flutuantes que estavam distribuídas seguindo um padrão radial tendo aproximadamente 10 metros de diâmetro.

Pedley ficou impressionado e procurou Albert Pennisi, dono do engenho de açúcar onde a lagoa estava localizada e um outro amigo. Pennesi lembrou-se que seu cachorro tinha agido de forma estranha durante a manhã, latindo loucamente, demonstrando que havia alguma coisa errada na região da lagoa por volta das 5:30 da manhã. Pennisi e o outro homem ficaram impressionados com a marca circular produzida pela massa de plantas. Eles entraram na água e perceberam que as plantas estavam soltas na água sendo possível inclusive nadar por baixo da massa de plantas.

Curiosamente, as bordas da massa de caniços começaram a formar um angulo que dava a impressão de tratar-se de um grande pires.Pennisi voltou para buscar sua câmera e obteve várias fotografias da estranha marca. Rapidamente as plantas na borda da marca passaram a ter coloração marrom na parte superior. Pedley relatou estes fatos à polícia de Tully que por sua vez repassou à Força Aérea já no dia seguinte, 20 de janeiro.

Com o passar dos dias, a imprensa cobriu o desenrolar da pesquisa de diversos investigadores, muitos querendo provar a teoria de que a marca foi produzida por helicóptero, grandes aves, crocodilos ou outra origem natural qualquer. O avistamento do disco voador por parte de Pedley foi deixado de lado durante essas investigações. Durante as investigações surgiram cinco outros ninhos, menores que o original. Em muitos deles, as plantas estavam dobradas em sentidos anti-horário e alguns deles apresentavam sinais de queimado no centro do circulo. Amostras foram coletadas e enviadas à Brisbane para analises, mas nada de anormal foi detectado. A única estranheza detectada foi o fato de que os caniços de dentro do circulo mudaram sua tonalidade para marrom aproximadamente 8 horas depois de descobertos os círculos, enquanto que os caniços de fora dos círculos levaram mais de três dias para adquirir esta coloração.

Mas o que aconteceu na Lagoa Horseshoe? Não existe qualquer evidência que sustente a possibilidade de ser um helicóptero pois ninguém viu ou ouviu nenhum aparelho semelhante em toda a região na época do caso. A possibilidade de marcas produzidas por animais locais também está descartada pois marcas produzidas por animais são pequenas, irregulares e desaparecem em pouco tempo. A melhor explicação que a Real Força Aérea Australiana pôde oferecer é que a marca foi produzida por um “willy-willy”, um pequeno redemoinho que ocorre na região. Porém como se explica o fato de nunca ter ocorrido marca semelhante antes ou depois deste caso? E o avistamento de Pedley? Se realmente fosse um fenômeno atmosférico produzido por vento teríamos água turva e detritos por toda a região, além de testemunhos adicionais relatando a presença do tornado.

O Caso de Tully permanece como um dos mais interessantes casos de pouso de OVNI ocorridos na Austrália que encontra semelhanças em vários outros casos ocorridos pelo mundo.

Mapa da região de Tully. O UFO pousou próximo à rodovia entre Tully e Feluga.

 

Foto aérea recente do local onde o UFO pouso. A lagoa foi drenada, porém seu contorno permanece ainda visível.

 

Croqui mostrando detalhes do pouso do UFO.

 

Representação do momento em que o UFO páira sobre a superfíce do charco.

 

 

Marca deixada pelo UFO em charco, na região de Tully, Austrália.

 

Marca deixada pelo UFO em charco, na região de Tully, Austrália.

 

Marca deixada pelo UFO em charco, na região de Tully, Austrália.

 

Marca deixada pelo UFO em charco, na região de Tully, Austrália

 

Marca deixada pelo UFO em charco, na região de Tully, Austrália

 

Jornal da época noticiando o caso.

 

Jornal da época noticiando o caso.

 

 

Jornal da época noticiando o caso.

 

 

Jornal da época noticiando o caso.

 

Jornal da época noticiando o caso.

 

 

Jornal da época noticiando o caso.

 

Jornal da época noticiando o caso.

 

 

Jornal da época noticiando o caso

 

Referências:


 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco × 4 =